Conheça o Aeromobil. O carro voador do futuro chega já em 2018

Assim que forem entregues as primeiras encomendas, daqui a dois anos, o veículo pode levantar voo.

O investimento é de mais de 10 milhões de euros, mas promete revolucionar o setor dos transportes e da tecnologia. O novo AeroMobil, o veículo automóvel que é simultaneamente uma aeronave, vai descolar já em 2018.

A empresa com sede em Bratislava que concebeu este modelo já desenvolveu dois protótipos (2.5 e o 3.0) e prepara o próximo. Certificado pelas autoridades eslovacas, o carro-avião foi adaptado para qualquer infraestrutura aeroportuárias

Olhando para os números, prevê-se que, combinados os curtos do carro desportivo e da Light Sports Aircraft (LSA), o preço final do AeroMobil atinja várias centenas de milhares de euros. O protótipo ainda está a ser desenvolvido e só depois da conclusão da certificação e homologação quer como carro quer como aeronave é que será possível definir um preço para o AeroMobil.

A avaliação à versão de teste começaram há cerca de um ano e meio e, para conduzir este carro-avião, os pilotos terão de ter obrigatoriamente mais 40 horas de voo. Conforme o CEO da firma, Juraj Vaculik, explicou ao “Dinheiro Vivo”, o AeroMobil tem chassis próprio e motor a gasolina, terá uma autonomia de 750 quilómetros, vai precisar de mais de 300 metros para descolar e de cerca de 200 metros aterrar.

Recomendadas

EDP Renováveis vende Companhia Paranaense de Energia por 350 milhões de euros

A venda foi feita por um Enterprise Value (inclui dívida) estimado de 1,80 mil milhões de reais a 31 de dezembro de 2021 (o que equivale a 0,35 mil milhões de euros à taxa cambial de 5,16 euros/um real), e que será ajustado à data de conclusão.

Sindicatos desconvocam greve no Metro de Lisboa marcada para quarta-feira

No entanto, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações entregou um novo pré-aviso de paralisação para 25 de outubro.

Talent Protocol compra empresa canadiana ligada à blockchain

A escolha recaiu sobre a Agora Labs, fundada por um grupo de quatro adolescentes. Matthew Espinoza (agora com 20 anos) e Freeman Zhang (de 19 anos) juntam-se à equipa da startup portuguesa dos ‘tokens’ para profissionais talentosos.
Comentários