Conheça a nova casa de 5 milhões dos Obama

Depois da era na Casa Branca, este é o local escolhido pelos Obama para os próximos anos.

No próximo mês de janeiro, após dois mandatos, Barack Obama e a sua família vão abandonar a Casa Branca e mudar-se para uma mansão de luxo de 8.200 m2 em Washington. Poucas semanas antes dessa mudança, foram divulgadas as primeiras fotografias da nova residência dos Obama: luxo e design que não deixam ninguém indiferente.

A mansão, construída em 1928, conta com uma fachada que simula um ambiente rural, onde o tijolo é o material de eleição. No interior, o design é de linha clássica, com um amplo jardim interior, o lugar que Michelle Obama provavelmente adotará para continuar a plantar os seus vegetais, como fazia na Casa Branca.

Nove quartos, oito casas de banho, uma garagem para dois carros e um pátio com capacidade para dez veículos.

Antes de ser comprada pela família Obama, a mansão era habitada pelo ex-secretário de imprensa da Casa Branca, Joe Lockheart e sua esposa, Giovanna Gray, editora da revista Glamour.

Mas porque é que a família Obama escolheu uma residência no mesmo sítio?

Acredita-se que a família Obama decidiu ficar na capital para que Sasha possa terminar o ensino secundário; enquanto isso, a sua irmã mais velha, Malia, irá para Harvard no outono de 2017.

Recomendadas

Guterres condena “veementemente” golpe de Estado no Burkina Faso

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou este sábado “veementemente”, num comunicado, “qualquer tentativa de tomada do poder pela força das armas” no Burkina Faso, um dia após um novo golpe de Estado no país, o segundo em oito meses.

Manifestantes denunciaram repressão violenta sobre ativistas no Irão

Milhares de manifestantes em várias universidades iranianas e em vários países protestaram este sábado contra a repressão sobre movimentos de protesto pela morte de Mahsa Amini, a jovem acusada de violar o código de indumentária da República Islâmica.

Bolsonaro agradece apoio de líderes europeus de extrema-direita, entre eles André Ventura

O presidente Jair Bolsonaro, que pretende ser reeleito no domingo, agradeceu este sábado as mensagens de apoio que recebeu de líderes da extrema-direita da Europa, como o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orban, ou o líder do Chega, André Ventura.
Comentários