Conhece o consumidor do futuro?

Sustentabilidade, experiência e versatilidade dominarão as compras de 2016

“As pessoas querem que os seus gastos reflitam quem são”. A frase de Sheryl Connelly, perita em tendências de consumo da Ford Motor Company, resume o que definirá o cliente do estudo. O estudo Looking Further with Ford, publicado recentemente, analisa as dez tendências-chave para 2016.

Adotar novos heróis

O cidadão do futuro não procura apenas a liderança num político ou no seu chefe, senão em si mesmo, com maior consciência. “Antes de cada compra, o consumidor vai questionar se a mesma está alinhada com os seus valores”, referiu Connelly.

Comprar produtos versáteis

“As compras serão mais inteligentes e aumentará o desejo de adquirir produtos mais duradouros, úteis e versáteis”, acredita a perita. O consumidor não quer ter mais coisas, mas sim alargar e melhorar a utilização daquilo que compra.

Tecnologia como fonte de esperança

O auge da inovação em tudo o que nos rodeia aumentará a nossa esperança e as possibilidades de viver melhor. A tecnologia adapta-se às nossas necessidades e decifra-as.

Reflexão e meditação

Cerca de 65% das pessoas consultadas considera que a vida era mais fácil antes de ter tantos dispositivos eletrónicos. Para controlar o impacto desta hiper-conetividade, cada vez mais consumidores recorrem à atenção plena. O que pode parecer uma simples tendência, irá impor-se. Um dado: muitos dos aeroportos dos EUA estão a construir salas de ioga e meditação em terminais e na Yahoo!, o Japão está a incorporar técnicas de atenção plena nos seus cursos de liderança.

Consumidor sénior

Em 2050, 400 milhões de pessoas em todo o mundo terão cerca de 80 anos. A perceção da idade e da velhice está a ser reinventada e o consumidor sénior recusa os estereótipos que o perseguem. O consumo irá concentra-se em produtos que potenciem a saúde e atrasar o envelhecimento.

Mais segmentação

As diferenças entre clientes serão intensificadas e irão procurar relações pessoais e únicas com as marcas. A diferenciação não será um problema, pois as pessoas terão tendência a aceitá-las e compreende-las.

Sustentabilidade

A consciencialização sobre o meio-ambiente é imparável. Os indivíduos sentem a obrigação de ter um papel importante na conservação do planeta e as suas compras serão articuladas sob esta inquietude.

Economia colaborativa

No mundo, existem mais de 8 mil negócios à economia colaborativa, um número com tendência para aumentar. Também irá variar o modo como entendemos os trabalhos e, cada vez mais, irá ser dada prioridade à flexibilidade e irá crescer o número de trabalhadores independentes.

Experiência

A palavra que o cliente já exige nas suas compras e que aumentará o seu peso em 2016. O retalho é o setor à cabeça neste sentido: manequins virtuais, Amazon Dash ou os pagamentos através do telemóvel são apenas o começo.

OJE

Recomendadas

Governo adota estratégia para aumentar “peso e influência” portuguesa em instituições da União Europeia

A informação foi avançada à agência Lusa, no dia em que o Governo se reúne em Conselho de Ministros, pelo secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Tiago Antunes, que defendeu ser “imperativo aumentar a representatividade de Portugal nas instâncias europeias, nos quadros e, em particular da Comissão, onde o défice é maior, para [Portugal] ter mais peso e uma maior capacidade de influência no processo de decisão europeu”.

Inflação desacelera em novembro para 9,9%

“A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor terá diminuído para 9,9% em novembro, taxa inferior em 0,2 pontos percentuais à observada no mês anterior”, revela o INE.

Pensões devem subir mais do que anunciado pelo Governo porque inflação superou estimativa

O Governo prometeu que reviria as atualizações das pensões previstas para janeiro, caso a inflação superasse a estimativa. A estimativa rápida conhecida esta quarta-feira indica que os preços subiram mais do que se estava à esperança, o que abre a porta a aumentos mais robustos para os pensionistas em 2023.