Conselho de Estado. PS decide se abdica de segundo socialista

Lista de esquerda para o Conselho de Estado deve integrar sempre dois nomes socialistas, defende PS


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A direção da bancada do PS vai decidir em breve se aceita abdicar de um segundo socialista na lista de esquerda para o Conselho de Estado, abrindo espaço à representação do PCP e do Bloco de Esquerda.

Fonte da bancada socialista referiu no entanto à agência Lusa que a maioria dos membros da direção da bancada do PS considera que a lista de esquerda para o Conselho de Estado deve integrar sempre dois nomes socialistas, entendendo assim que o terceiro nome deve ser alvo de um consenso entre PCP e Bloco.

Uma posição que se baseia fundamentalmente na aplicação do método de “Hondt” ao atual quadro parlamentar, no qual o PS, independentemente de ter ou não o apoio do PCP e do Bloco de Esquerda, elege sempre sozinho dois dos cinco elementos a designar para o Conselho de Estado.

No entanto, outro elemento da direção do Grupo Parlamentar do PS salientou à agência Lusa que os critérios de composição dessa lista de esquerda para o Conselho de Estado “estão ainda longe de serem fechados”.

OJE

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Eutanásia: PSD com disciplina de voto a favor do referendo, mas serão admitidas exceções

“Temos no PSD uma posição que é uma tradição e que vamos manter viva, de relativamente à questão substantiva, haver liberdade total, e na questão política haver uma orientação que corresponde ao exercício da disciplina de voto”, afirmou o presidente do PSD, Luís Montenegro, em conferência de imprensa, depois de anunciar que a bancada irá propor um referendo sobre a despenalização da morte medicamente assistida.

Novo “braço direito” de Costa e turbilhão na Economia. Veja a análise à remodelação no Governo

Ao fim de oito meses, António Costa procedeu à maior remodelação governamental da maioria absoluta: chamou para junto de si um “velho conhecido” e afastou dois secretários de Estado desfasados do ministro da Economia. Veja a análise de Ricardo Santos Ferreira, diretor adjunto do semanário Novo.