PremiumConselho Nacional da Educação questiona existência do 2.º ciclo

É uma originalidade portuguesa, dispendiosa e não produz resultados, alerta Maria Emília Brederode Santos, presidente do CNE.

“O 2.º ciclo é uma originalidade portuguesa. Só nós é que temos aqueles dois anos [5.º e 6.º], que é um ano para entrar e um ano para sair e já se viu que não é uma boa prática”. A afirmação pertence a Maria Emília Brederode Santos, presidente do Conselho Nacional da Educação, e foi feita durante a apresentação do relatório “Estado da Educação 2017”. A pedagoga chama a atenção para a necessidade de repensar a organização do Ensino Básico, dividido atualmente em três ciclos (1.º, 2.º e 3.º) e acabar, eventualmente, com o bloco do meio. “Valia a pena tentar encontrar outras formas de organizar o sistema que não criassem tantas transições, que acabam por provocar, como se percebe pelos resultados, mais dificuldades na aprendizagem dos alunos.”

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Como receber os 125 euros? O que são metadados? O que os portugueses mais pesquisaram no Google em 2022

Os internautas também mostraram curiosidade sobre o Mundial 2022, Putin, em que consiste o distúrbio de Bruce Willis ou que é aquamado, o método funerário mais amigo do ambiente que está a ser utilizado como alternativa à cremação.

Comissão por amortização antecipada no crédito à habitação: saiba o que é e como funciona

Se está à procura de alternativas será aconselhável pedir soluções ao seu banco, mas também consultar o mercado e avaliar ofertas alternativas.

O que é o spread no crédito à habitação e como saber se está adequado? Saiba aqui

Para quem contratou crédito à habitação há mais de dez anos é possível que esteja a pagar um spread elevado, se comparado com o atualmente praticado no mercado. Atualmente há ofertas bancárias com spreads abaixo de 1% no crédito à habitação, com bancos a oferecer spreads de 0,85%.
Comentários