Consórcio liderado pelo Softbank vai comprar 20% de ações da Uber

Depois de serem conhecidos os avanços sobre esta operação, noticiada pela imprensa japonesa em meados de novembro, as ações do Softbank Group registram uma ligeira subida na bolsa de Tóquio, e pelas 10:30 (01:30 em Lisboa) de hoje estavam a ser transacionadas por 8.966 ienes (66 euros), cerca de 0,40% mais.

Um consórcio liderado pelo gigante japonês das telecomunicações Softbank Group acordou a compra de 20% das ações da Uber por 48.000 milhões de dólares (40.191 milhões de euros), informou hoje o diário “Nikkei”.

O grupo de investidores, que também inclui o fundo com sede na cidade norte-americana de São Francisco Dragoneer Investment Group, tem previsto formalizar a aquisição no início de 2018, informaram fontes da empresa ao jornal económico.

Além da compra de ações, a maioria das quais irá parar às mãos do Softbank (17,5%), o consórcio vai investir 1.250 milhões de dólares (1.046 milhões de euros) no desenvolvimento de tecnologia para esta plataforma de transporte com o objetivo de potenciar a sua expansão global.

Depois de serem conhecidos os avanços sobre esta operação, noticiada pela imprensa japonesa em meados de novembro, as ações do Softbank Group registram uma ligeira subida na bolsa de Tóquio, e pelas 10:30 (01:30 em Lisboa) de hoje estavam a ser transacionadas por 8.966 ienes (66 euros), cerca de 0,40% mais.

Considerado um dos projetos mais bem-sucedidos de Silicon Valley nos últimos anos, a Uber sofreu, ao longo de 2017, uma série de escândalos, incluindo um processo da Alphabet, da Google, pelo alegado roubo de informação sobre veículos autónomos.

No verão passado, a Uber viu-se também envolvida numa guerra de poder que causou a demissão do cofundador e ex-conselheiro delegado Travis Kalanick, acusado de fraude, assédio sexual e discriminação.

O acordo entre as duas empresas inclui também a saída da bolsa da Uber, em 2019.

Relacionadas

Federação do Táxi quer demissão de secretário de Estado por sugerir perdão às multas da Uber

A Federação Portuguesa do Táxi (FPT) considerou hoje “inaceitável” o perdão das multas à Uber e à Cabify, exigindo a demissão do secretário de Estado Adjunto e do Ambiente por este ter apresentado tal proposta.

Respostas Rápidas: O que vai acontecer à Uber depois da decisão do Tribunal de Justiça da UE?

Na manhã desta quarta-feira, saiu uma decisão do Tribunal de Justiça da União Europeia sobre a Uber, face à queixa apresentada por uma associação de taxistas espanhóis que alegavam concorrência desleal e prática enganosa da empresa norte-americana. Se não sabe o que aconteceu, nós explicamos com Respostas Rápidas.
Recomendadas

Galp vai investir mais de cinco mil milhões no Brasil

A companhia quer investir mais na produção de petróleo, mas também nas energias renováveis.

Klarna permite pagamentos faseados em 870 marcas em Portugal (com áudio)

Prestes a completar o primeiro ano de operação em Portugal, a fintech sueca ultrapassou a marca dos 200 mil utilizadores nacionais da aplicação que permite dividir os pagamentos em três fases.

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.
Comentários