Constipação impede Isabel II de assistir à missa de Natal

Pela primeira vez em 30 anos, a monarca de Inglaterra cancelou a presença na missa de Natal devido a uma “forte constipação”. A tradicional mensagem de Natal foi gravada antes e transmitida à hora planeada.

REUTERS/Peter Nicholls

“Sua Majestade a rainha não irá assistir à missa na Igreja de Sandringham esta manhã. A rainha continua a recuperar de uma forte constipação”, informou o Palácio e Buckingham, em comunicado divulgado este domingo.

A monarca de 90 anos vai permanecer na residência de Sandringham, no leste de Inglaterra, onde a família real se encontra a celebrar as festividades natalícias, como é tradicional. Ainda assim, a nota da Coroa britânica refere que “Sua majestade vai participar nas celebrações de Natal da família real durante o dia”.

No início da semana, a rainha e o marido, príncipe Filipe, de 95 anos, já tinham atrasado um dia a partida para Sandringham, devido à constipação.

Em 2014, Isabel II assegurou 393 compromissos oficiais e 341 em 2015, de acordo com os meios de comunicação social britânicos, o que constata que não é comum a rainha anular ou adiar compromissos oficiais da coroa.

Mensagem de Natal da Rainha

Às 15 horas, a tradicional mensagem de Natal da rainha Isabel II foi transmitida pelas estações de televisão e rádio britânicas. No vídeo gravado antes de adoecer, a monarca assegurou que o Reino Unido precisa de “respirar fundo” para enfrentar os “grandes problemas do mundo”, mas nem uma referência foi feita ao Brexit.

“Quando as pessoas enfrentam um desafio, às vezes, fala-se em respirar fundo para encontrar coragem ou força. Na verdade, a palavra ‘inspirar’ significa literalmente ‘respirar fundo’”, disse.

A rainha de Inglaterra sublinhou ainda que, “mesmo com a inspiração dos outros”, muitas vezes é natural que as pessoas achem que “podem fazer pouco para ajudar”, na medida em que “os problemas do mundo são tão grandes”.

“Para ser inspirador não se tem de salvar vidas ou ganhar medalhas. Muitas vezes, eu arranjo força ao conhecer pessoas que fazem coisas extraordinárias: voluntários, prestadores de cuidados, organizadores comunitários, bons vizinhos”, afirmou Isabel II, que os apelidou de “heróis desconhecidos cuja dedicação os torna especiais”.

No dia que assinala o nascimento de Jesus Cristo para a Igreja Católica, a rainha não esqueceu a religiosidade e lembrou que o filho de Deus foi “insultado e rejeitado por muitos, embora não tinha feito nada de errado”.

Ao contrário do discurso anual da rainha ao Parlamento, a mensagem de Natal é escrito sem o auxílio de conselheiros de Estado.

Recomendadas

Ucrânia. EUA anunciam novo pacote de 627,3 milhões de euros em ajuda militar a Kiev

O presidente norte-americano, Joe Biden, informou hoje o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, da concessão de um novo pacote de ajuda militar de 625 milhões de dólares (627,3 milhões de euros).

Governo acompanha caso de portuguesa encontrada morta em França

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português anunciou hoje que os consulados gerais de Estrasburgo e do Luxemburgo estão a acompanhar “com especial atenção” o caso de uma portuguesa encontrada morta em França.

Japão, EUA e NATO condenam disparo de míssil norte-coreano

Estados Unidos, Japão e NATO condenaram hoje o disparo pela Coreia do Norte de um míssil balístico sobre o Japão, comprometendo-se a coordenar uma resposta multilateral à provocação do regime do presidente Kim Jong-un.
Comentários