Construir casas por apenas 35 euros? Sim, é possível

Startup italiana inventou uma forma inovadora de construção, que permite reduzir significativamente os tempos e custos de produção.

É uma autêntica revolução para o setor da construção. A startup italiana Wasp inventou um método inovador para construir casas, utilizando para isso uma impressora 3D gigante. No total, o custo de produção é de apenas 35 euros.

Segundo avança o El Mundo, a impressora 3D demora cerca de uma semana para fazer toda a estrutura principal da casa. A máquina, que apenas necessita de lama e palha para fazer uma espécie de barro que serve de base à construção, avança cerca de 50 centímetros por dia. Resultado: uma habitação em forma circular, com 6 metros de diâmetro e 4 de altura. O telhado, juntamente com as janelas e portas, são colocados posteriormente.

Gianluca Pugliese, um dos sócios da Wasp, afirma que este tipo de construção seria ideal para locais onde há a necessidade premente de realojar a população, como acontece nas áreas que foram atingidas pelos terramotos este ano em Itália.

O responsável pela startup italiana diz ainda que já tem vários pedidos de outros países (como Taiwan, Síria e América do Sul) e já há intenções de se construir um bairro inteiro.

Para além desta impressora-mãe, a startup detém ainda outras duas impressoras: uma que transforma os materiais de plástico em móveis e outra em louça. A ideia será desenvolver uma impressora que funcione com energia solar ou energia eólica de forma a reduzir ainda mais os custos de produção.

Recomendadas

Eleições do Brasil: Bolsonaro mantém-se na liderança com 50% dos votos contados

A segunda volta é cada vez mais certeira, quando a contagem dos votos prossegue e a distância entre os dois principais candidatos à Presidência do Brasil diminui.

Eleições do Brasil: Primeiros números oficiais dão liderança a Bolsonaro sem maioria absoluta

Às 21h30, pouco mais de 1% dos votos válidos estavam contados. Em Lisboa, as urnas fecharam pelas 20:00, após o encerramento ser prolongado devido à forte afluência.

Enviado da ONU quer garantir “boa tradição de democracia e diálogo” nas eleições de São Tomé

“Vim para recolher informações, porque, como sabem, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, segue com bastante atenção a evolução da situação política deste país e emitiu um comunicado em que felicitou o povo são-tomense pela sua maturidade política”, disse Abdou Abarry, o novo representante especial para da ONU para a África Central.
Comentários