Consumidores gastaram 86,9 mil milhões de euros nas promoções da Black Friday e Cyber Monday

Devido ao confinamento, as marcas também apostaram mais no marketing, registando-se um aumento de 156% no envio de mensagens aos consumidores para chamar a atenção para as promoções. 

Andy Rain/EPA/Lusa

Os consumidores gastaram um total de 86,9 mil milhões de euros durante a Black Friday e a Cyber Monday, a nível global, avança um relatório da multinacional Salesforce. De acordo com a empresa tecnológica de customer relationship management, a Black Friday registou um aumento de 30% e a Cyber Monday de 18% em comparação com os valores registados no ano passado.

Com os dois eventos o mais digitais possíveis devido à pandemia, de forma a evitar concentrações nas lojas, a Black Friday registou níveis históricos desde que foi criada, atingindo vendas de 51,3 mil milhões de euros. Neste dia os consumidores de todo o mundo gastaram uma média de 87 euros e obtiveram descontos na ordem dos 26%.

Entre as categorias que recolheram mais encomendas encontra-se a alimentação e bebidas, com um aumento de 114% face a 2019, seguindo com um aumento de 64% na decoração e de 44% na saúde e bem-estar, realça o estudo. Devido ao confinamento, as marcas também apostaram mais no marketing, registando-se um aumento de 156% no envio de mensagens aos consumidores para chamar a atenção para as promoções.

Apesar de ter sido um crescimento menor, a Cyber Monday não ficou para trás e registou encomendas na ordem dos 35,6 mil milhões de euros a nível global. Em média, os consumidores gastaram 90 euros por compra e tiveram um desconto na ordem dos 29%.

Por sua vez, também a categoria de alimentação e bebidas se situou em primeiro lugar, com um aumento de 65% face ao ano passado, seguindo-se de um crescimento de 42% da saúde e bem-estar e de 36% da decoração.

O relatório vai ainda mais longe e sustenta que nos dias que se seguiram à Cyber Monday, no evento que é conhecido por Cyber Week devido à continuação das promoções, as vendas atingiram um valor total de 223 mil milhões de euros.

Recomendadas

Declaração anual de rendas passa a ser entregue apenas por via eletrónica

A declaração anual de rendas, apresentada pelos senhorios que não passam recibos eletrónicos, vai deixar de poder ser entregue em papel, passando a ser entregue apenas por via eletrónica, segundo um despacho agora publicado.

Contrair dívidas para pagar outras dívidas é boa ideia? Saiba aqui

O primeiro passo para organizar a sua vida financeira é constituir um Fundo de Emergência. Se ainda não tem comece já a constituir o seu, equivalente a, pelo menos, entre três a seis meses de ordenado, aplicando-o num produto mobilizável a curto prazo.

“O fundo de emergência deve ser sempre o primeiro patamar de poupança e devemos começar a constituí-lo o quanto antes”, diz Bárbara Barroso

“O fundo de emergência deve ser sempre o primeiro patamar de poupança e devemos começar a constituí-lo o quanto antes. Depois disso, podemos pensar em passar para outro patamar e começar, por exemplo, a investir as poupanças”, considerou a CEO da MoneyLab na Conferência “Poupar e Investir para um Futuro Melhor”.
Comentários