Consumidores nacionais preferem vinho tinto, em casa, com familiares e amigos

Segundo o estudo da consultora Levelsource, o local preferido de compra de vinhos varia entre os hipermercados e supermercados (47%), as lojas de vinhos (28%), compra direta aos produtores (15%), ‘sites’ e mercearias (comércio tradicional), por exemplo (10%).

Os consumidores portugueses preferem o vinho tinto, em casa, na companhia de amigos e familiares (57%), de acordo com um estudo elaborado pela consultora Levelsource.

Esta é a principal conclusão do estudo, baseado em 1.303 entrevistas presenciais nas cidades de Lisboa e Porto a indivíduos com mais de 18 anos e que tivessem comprado pelo menos uma garrafa de vinho no último, sendo que dos inquiridos 54% são do género masculino e 46% do género feminino.

O trabalho de campo deste inquérito decorreu entre os dias 5 e 6 de novembro deste ano.

De acordo com este estudo, o vinho tinto é o mais consumido (48%).

O consumo de vinho em restaurantes atrai 41% dos abrangidos pelo inquérito, assim como outras formas de consumo (2%), mas, por exemplo, em situações de negociação (situação profissional), o vinho regista um valor sem expressão estatística significativa, contrariamente ao café.

O local preferido de compra de vinhos varia entre os hipermercados e supermercados (47%), as lojas de vinhos (28%), compra direta aos produtores (15%), ‘sites’ e mercearias (comércio tradicional), por exemplo (10%).

Para assumirem a sua escolha de vinhos, os inquiridos baseiam-se na sua experiência anterior com um determinado vinho (46%), na relação qualidade/preço (36%), na recomendação de um familiar ou amigo (15%) e outros (3%).

A publicidade sobre os vinhos (48%), as promoções no local de venda (38%), o facto de o vinho ser  premiado (10%) e outros critérios (4%) são fatores alternativos no momento da decisão sobre a escolha do vinho.

Na qualidade do vinho, os inquiridos portugueses consideram que o aroma, sabor e região produtora são os três atributos do vinho mais valorizados, respetivamente, com 32%, 30% e 28% das respostas obtidas.

Para António Mendes, diretor geral da Levelsource, o facto de “Portugal ser o 4º maior produtor de vinho da Europa e o vinho um instrumento de socialização e de convívio”, justifica os resultados retirados deste estudo.

“O vinho transmite a cultura e a história de um país, sendo, ainda, um elemento de prestígio, por isso, é importante perceber a relação que os portugueses têm com o vinho”, destaca António Mendes.

Recomendadas

Confederações agrícolas unem-se contra extinção das direções regionais do sector

Em comunicado conjunto enviado esta quarta-feira às redações, AJAP, CAP, CNA e Confagri referem que o entendimento “unânime” é de que a decisão é “altamente lesiva” para o sector agrícola. No documento, apela-se a que o Governo volte atrás na decisão, de forma imediata e inequívoca.

“Apoio ao rendimento dependerá de produção sustentável”, diz ministra da Agricultura

A ministra da Agricultura e da Alimentação considera que a reforma da Política Agrícola Comum vai valorizar a pequena e média agricultura, de proximidade e circuitos curtos, apostando em simultâneo no reforço da competitividade.

Escola Agrária de Elvas ensina agricultura sustentável há 22 anos

Muito antes das orientações estratégicas da ONU ou de Bruxelas, já o Politécnico de Portalegre, oferecia um mestrado em agricultura sustentável. O tema, um dos grandes desafios da humanidade, impulsiona ofertas no ISA e no IPLeiria.
Comentários