Contratação de Sérgio Figueiredo tem “critérios certamente discutíveis”, diz PCP

O dirigente comunista Bernardino Soares considerou hoje que a contratação pelo Ministério das Finanças do ex-diretor da TVI e ex-administrador da Fundação EDP Sérgio Figueiredo foi feita com “critérios certamente discutíveis”.

É uma opção do Governo com critérios certamente discutíveis”, afirmou Bernardino Soares em conferência de imprensa na sede nacional do PCP, em Lisboa.

O jornal Público noticiou na terça-feira que o Ministério das Finanças contratou o antigo diretor de informação da TVI e ex-administrador da Fundação EDP Sérgio Figueiredo como consultor estratégico para fazer a avaliação e monitorização do impacto das políticas públicas.

Segundo o jornal, o contrato em questão é por ajuste direto e Sérgio Figueiredo irá auferir um ordenado ilíquido equivalente ao vencimento mensal de um ministro, correspondendo a 4.767 euros. Sérgio Figueiredo terá começado a desempenhar as suas funções a 29 de julho.

Ao Público, o ministério tutelado por Fernando Medina confirmou a contratação de Sérgio Figueiredo, afirmando que o antigo jornalista irá “prestar serviços de consultoria no desenho, implementação e acompanhamento de políticas públicas, incluindo a auscultação de partes interessadas na economia portuguesa e a avaliação e monitorização dessas mesmas políticas”.

O jornal avançou ainda que o contrato de Sérgio Figueiredo terá uma duração de dois anos e o antigo jornalista irá “ajudar a conceber e desenhar as políticas públicas do ministério de Fernando Medina, mas também monitorizar a sua execução e a perceção, em tempo real, que têm delas as partes interessadas”.

Nascido em 1966, Sérgio Figueiredo já foi diretor do Diário Económico e do Jornal de Negócios, tendo também trabalhado para o canal televisivo RTP2. Entre 2007 e 2014 foi diretor da Fundação EDP e, entre 2015 e 2020, foi diretor de informação da TVI.

Relacionadas

“Promiscuidade” ou “favores”. As críticas dos partidos à contratação de Sérgio Figueiredo por Medina

A contratação de Sérgio Figueiredo tem suscitado diversas reações e o Chega já pede a presença do ministro das Finanças no Parlamento.

Sérgio Figueiredo contratado para consultor de Fernando Medina

O contrato estende-se por dois anos e Sérgio Figueiredo deverá receber um ordenado equiparado ao de um ministro.
Recomendadas

Ministro da Saúde inicia processo de dissolução de consultora (com áudio)

Manuel Pizarro já iniciou o processo de dissolução da Manuel Pizarro-Consultoria e reconhece incompatibilidade.

OE2023: Conselho de Ministros extraordinário discute documento na terça-feira

O Governo discute em Conselho de Ministros extraordinário na terça-feira a proposta de Orçamento do Estado para 2023, numa reunião que marca o começo do processo de aprovação do documento, que é entregue ao parlamento na segunda-feira.

Governo avisa federação russa em Portugal: “UE adotará medidas restritivas adicionais” devido a anexação de regiões ucranianas

O Ministério dos Negócios Estrangeiros garante que a UE “continuará a apoiar a integridade territorial e a soberania da Ucrânia”, posição que demonstrou, esta segunda-feira, durante reunião com o embaixador da Federação Russa.
Comentários