Contrato de serviço público da Lusa já obteve visto do Tribunal de Contas

O contrato de serviço público da Lusa 2022-2027 já obteve o visto do Tribunal de Contas e contempla uma indemnização compensatória para este ano de 13,4 milhões de euros, anunciou hoje o presidente do Conselho de Administração.

Numa nota enviada aos trabalhadores, o presidente da Lusa, Joaquim Carreira, adianta que “o contrato de serviço público da Lusa para 2022/27 obteve, finalmente, o visto do Tribunal de Contas”.

Relativamente ao contrato anterior, de 2017-2019, o novo é válido por um período de seis anos e “contempla uma indemnização compensatória para 2022 de 13,4 milhões de euros, refletindo 2% de aumento em comparação com o ano transato”.

Além disso, “inclui uma nova fórmula de cálculo do custo de serviço público líquido, diminuindo as devoluções ao Estado”, conclui o presidente da Lusa.

Em 11 de maio, o ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, tinha afirmado no parlamento que a Lusa iria “ter um crescimento na sua dotação de 2% este ano” face a 2021.

Recomendadas

EDP Renováveis vende Companhia Paranaense de Energia por 350 milhões de euros

A venda foi feita por um Enterprise Value (inclui dívida) estimado de 1,80 mil milhões de reais a 31 de dezembro de 2021 (o que equivale a 0,35 mil milhões de euros à taxa cambial de 5,16 euros/um real), e que será ajustado à data de conclusão.

Sindicatos desconvocam greve no Metro de Lisboa marcada para quarta-feira

No entanto, a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações entregou um novo pré-aviso de paralisação para 25 de outubro.

Talent Protocol compra empresa canadiana ligada à blockchain

A escolha recaiu sobre a Agora Labs, fundada por um grupo de quatro adolescentes. Matthew Espinoza (agora com 20 anos) e Freeman Zhang (de 19 anos) juntam-se à equipa da startup portuguesa dos ‘tokens’ para profissionais talentosos.
Comentários