Contratos de telecomunicações vão poder ser cancelados na internet

O serviço arranca antes de abril do próximo ano e vai permitir cancelar online contratos com as operadoras.

Piaras Ó Mídheach/Web Summit

O Governo vai criar uma plataforma para cancelar contratos de telecomunicações, avança o Público esta sexta-feira. O serviço tutelado pela Direção-Geral do Consumidor (DGC) deverá estar disponível antes de abril de 2020.

A proposta consta do Orçamento do Estado para 2020 e prevê a criação da “plataforma única de resolução de contratos de comunicações eletrónicas num único ponto”.

“A Plataforma Única de Cessação de Contratos de Telecomunicações encontra-se em desenvolvimento, prevendo-se a sua disponibilização/entrada em produção no final do primeiro trimestre”, segundo o Ministério da Economia, tutelado por Pedro Siza Vieira, destacando que vai ser usada em “contratos com e sem fidelização”.

As operadoras já identificaram algumas “dificuldades técnicas” na criação desta plataforma, segundo o presidente da Associação dos Operadores de Comunicações Eletrónicas (Apritel), Pedro Mota Soares, que questiona porque é que este serviço não vai ser criado também para os contratos de luz e de gás.

Recomendadas

UNITA quer esclarecimentos do Governo sobre greve dos pilotos da TAAG

O sindicato dos pilotos da companhia aérea de bandeira de Angola convocou uma greve entre os dias 7 (amanhã) e 16 de outubro.

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.

Comissão de trabalhadores acusa grupo Amorim de “incapacidade” para dirigir Galp por anúncio da saída do CEO sem substituto

A Comissão Central de Trabalhadores (CCT) da Petrogal acusou hoje o Grupo Amorim de incapacidade “para controlar e dirigir a Galp”, na sequência do anúncio da saída do presidente executivo, Andy Brown, no final do ano, sem anúncio de substituto.
Comentários