Coordenadora do BE estranha falta de reforço das equipas de rastreio e vacinação

Catarina Martins reagiu hoje com uma publicação na rede social Twitter às novas medidas anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, que passam pela antecipação do período de contenção para as 00:00 de dia 25 de dezembro, devido ao aumento de casos de covid-19.

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa para apresentação do programa eleitoral às eleições legislativas, na sede nacional do partido, em Lisboa, 21 de dezembro de 2021. MÁRIO CRUZ/LUSA

A coordenadora do BE afirmou hoje estranhar que “não exista reforço das equipas de rastreio e vacinação”, referindo que o Governo “aceitou a sugestão do Bloco” de apoio às famílias no período de encerramento de creches e ATL.

Catarina Martins reagiu hoje com uma publicação na rede social Twitter às novas medidas anunciadas pelo primeiro-ministro, António Costa, que passam pela antecipação do período de contenção para as 00:00 de dia 25 de dezembro, devido ao aumento de casos de covid-19.

“Registo que, no encerramento de creches e ATL, o Governo aceitou a sugestão do Bloco de apoio às famílias. Falta saber de apoios relativos a outras medidas”, apontou a líder bloquista.

Por outro lado, Catarina Martins disse estranhar que, “reconhecendo a exaustão dos profissionais de saúde, não exista reforço das equipas de rastreio e vacinação”.

O primeiro-ministro afirmou hoje que falou com o Presidente da República e que o Governo procedeu à informação e audição, por via telefónica, de todos os partidos representados no parlamento sobre as novas medidas de combate à pandemia da covid-19.

Interrogado sobre a recetividade dos partidos em relação às novas medidas, o primeiro-ministro referiu que na segunda-feira esteve várias horas em viagem de regresso a Lisboa, depois de ter visitado as tropas portuguesas na República Centro Africana.

“Na escala, no sul da Argélia, consegui fazer alguns contactos e outros foram feitos pelo secretário de Estado [dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro], justificou.

Segundo António Costa, na generalidade, os partidos “registaram” o conjunto de novas medidas que o Governo agora anunciou e “um deles”, que não identificou, deu até “algumas sugestões” ao executivo.

“Esperamos que os partidos se unam, assim como temos feito essencialmente ao longo deste tempo, em torno deste objetivo comum a todos: Combater a pandemia e prevenir novas infeções”, acrescentou

O Governo decidiu hoje, após uma reunião extraordinária do Conselho de Ministros, antecipar para o dia 25 de dezembro o encerramento de creches e ateliês de tempos livres (ATL), de bares e discotecas e a obrigatoriedade do teletrabalho.

A partir das 00:00 de 25 de dezembro, o acesso a eventos desportivos e culturais dependerá da apresentação de teste negativo ao coronavírus, independentemente no número de espetadores, e a lotação dos espaços comerciais estará limitada a uma pessoa por cada cinco metros quadrados para “evitar ajuntamentos”.

O acesso a restaurantes, casinos e festas de passagem de ano vai exigir a realização de um teste negativo à covid-19 com esta obrigatoriedade a abranger os dias 24, 25, 30 e 31 de dezembro e 01 de janeiro.

Os ajuntamentos na via pública de mais de 10 pessoas, bem como o consumo de álcool na rua, são proibidos na passagem de ano.

O Governo decidiu ainda aumentar de quatro para seis por mês os testes gratuitos por pessoa nas farmácias.

 

SMA (PMF/ROC/RCS) // ACL

Recomendadas

“É preciso controlar os preços e aumentar os salários e as pensões”, diz BE

O BE teve em vários pontos do país junto a supermercados, este sábado, e durante o trajeto a líder do partido pediu que fossem tomadas medidas e destacou que “no carrinho de supermercado vem cada vez menos”.

Sondagem. Costa e Governo afundam-se na avaliação dos portugueses

Os resultados da sondagem da Aximage para o DN, JN e TSF também revela que o Presidente da República continua a ser o político mais popular do país.

Marcelo diz que “assegurar a continuidade do acesso à água” é responsabilidade de todos

O Presidente da República aponta que “vivemos um momento em que as reservas hídricas atingem o seu mínimo, no dia em que se celebra o Dia Nacional da água.
Comentários