COP25: Greta Thunberg encerra Marcha pelo Clima acusando políticos de traição

“Nós é que vamos fazer a mudança”, vincou, dirigindo-se a uma multidão, assinalando que é necessário “sair dos espaços das conferências” e “parar esta crise”.

Greta Thunberg | Cristina Bernardo

A jovem ativista ambiental sueca Greta Thunberg acusou hoje, em Madrid, os políticos de traírem as pessoas, salientando que “têm de fazer o seu trabalho”.

Greta Thunberg discursava, em inglês, no encerramento da Marcha pelo Clima, que, segundo um dos organizadores, o movimento Fridays For Future, teve meio milhão de participantes. De acordo com a polícia, citada pela agência Efe, o protesto contou com apenas 15 mil pessoas.

A adolescente, de 16 anos, regressou no final à marcha, que encabeçou no início, depois de ter abandonado o protesto, por recomendação da polícia, devido à multidão que a impedia de continuar a andar.

A ativista despediu-se na altura dos manifestantes em inglês antes de entrar numa viatura elétrica, que a conduziu ao encerramento da marcha, onde eram aguardados os discursos finais.

“Os líderes políticos estão a trair-nos, não vamos deixar que continuem. Dizemos basta, já! A mudança vem, quer gostem ou não”, afirmou Greta Thunberg, na zona dos Novos Ministérios, onde terminou a manifestação, enfatizando que “a esperança não reside nas paredes da COP25 [cimeira do clima da ONU de Madrid], mas na rua”.

A ativista realçou que os manifestantes saíram da sua “zona de conforto” para “dizer às pessoas com responsabilidades” que têm de “preservar o futuro e as gerações atuais”.

A seu ver, a mudança para travar os efeitos da crise climática “não virá dos poderosos”, mas das “massas que exigem ação”.

“Nós é que vamos fazer a mudança”, vincou, dirigindo-se a uma multidão, assinalando que é necessário “sair dos espaços das conferências” e “parar esta crise”.

Antes de falar em inglês, a jovem sueca agradeceu em castelhano a presença de milhares de pessoas na manifestação.

A Marcha pelo Clima começou às 18:00 locais (17:00 em Lisboa) perto da Gare de Atocha, percorrendo as principais avenidas do centro da capital espanhola, e terminou na zona dos Novos Ministérios.

A manifestação marcou o início de uma contra-cimeira ou cimeira social, que faz parte da agenda paralela à COP25, que termina em 13 de dezembro.

Fridays For Future é um movimento impulsionado por Greta Thunberg, que iniciou em 2018 uma greve às aulas todas as sextas-feiras em protesto contra a falta de medidas para travar o aquecimento do planeta.

Relacionadas

COP25: Greta Thunberg abandona Marcha pelo Clima em veículo elétrico devido a multidão

A jovem ativista ambiental sueca Greta Thunberg abandonou, entre aplausos e gritos, a Marcha pelo Clima que está a decorrer em Madrid, por recomendação da polícia, devido à multidão que a impedia de continuar a andar.

Meio milhão de participantes na Marcha pelo Clima de Madrid

A manifestação assinala o início de uma contra-cimeira ou cimeira social, que faz parte da agenda paralela à cimeira do clima da ONU de Madrid (COP25), que termina na capital espanhola em 13 de dezembro.
Recomendadas

Entregas ao domicílio da IKEA serão totalmente elétricas até 2025, diz CEO

A meta para 2030 é ser uma empresa positiva para o clima, isto é, reduzir mais gases de efeito estufa do que aqueles que são emitidos por toda a sua cadeia de valor.

Desafios tecnológicos, burocracia, renováveis e perda de água em debate

A transição energética em Portugal e na Europa esteve em debate na conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Transição energética não pode ser feita sem as pessoas

Empresas do sector energético destacam a importância das pessoas nos seus projetos. A transição não pode ser feita sem o envolvimento das populações locais e sem a conversão de postos de trabalho.
Comentários