Coreia do Norte ameaça atacar território americano de Guam

Pyongang afirmou, na madrugada desta quarta-feira, que está a estudar “cuidadosamente” a possibilidade de realizar um ataque com misseís sobre o território localizado no Oceano Pacífico.

A Coreia do Norte afirmou, na madrugada desta quarta-feira, que está a estudar “cuidadosamente” a possibilidade de realizar um ataque com mísseis sobre o território dos Estados Unidos de Guam, no Oceano Pacífico. O anúncio foi feito como reação à afirmação do presidente norte-americano, Donald Trump, que, horas antes, explicou que os Estados Unidos responderiam com “fogo e fúria” a qualquer ameaça.

A afirmação de Pyongang foi divulgada por agências internacionais e teria sido difundida por meio da Agência Estatal de notícias do governo norte-coreano. Segundo um comunicado divulgado pela agência, o plano de ataque contra Guam pode ser executado “a qualquer momento”, e que um ataque só depende da ordem do líder do regime, Kim Jong Un.

A agência estatal também afirmou que pode realizar um ataque preventivo caso os Estados Unidos mantenham o tom provocativo.  Além disso, agências de notícias da Coreia do Sul informaram que o regime norte-coreano poderia lançar misseis nas proximidades de base militares dos Estados Unidos em Guam.

No fim de semana, as Nações Unidas aprovaram sanções contra a Coreia do Norte e além disso, os Estados Unidos fizeram mais manobras na região recentemente, assim como testes de misseis balísticos. Depois das afirmações do republicano, a Coreia ameaçou e respondeu que os exercícios militares e a postura do governo norte-americano poderia “provocar um grave conflito”.

Analistas consultados pela imprensa americana receberam a declaração com apreensão porque, segundo eles, a Coreia do Norte já teria capacidade de lançar uma bomba nuclear de pequeno porte usando seu arsenal de mísseis.

Guam é um território organizado não incorporado norte-americano na Micronésia, no oeste do Oceano Pacífico. A ilha foi controlada pela Espanha até 1898, passando para o domínio dos Estados Unidos após o Tratado de Paris na sequência da Guerra Hispano-Americana. Com 541 quilómetros quadrados, Guam tem uma população de aproximadamente 178 mil pessoas e as instalações norte-americanas na ilha estão entre as bases dos Estados Unidos de maior importância estratégica no Pacífico Ocidental.

Recomendadas

Brasil gerou dois milhões de empregos no ano passado, menos do que em 2021

O Brasil, a maior economia da América Latina, gerou 2.037.982 empregos formais em 2022, 26,6% menos do que os criados em 2021, disse esta terça-feira o governo.

Turquia diz que é “atualmente impossível” a entrada da Suécia na NATO

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia referiu que neste momento o seu país não pode aceitar a adesão da Suécia à NATO. E não deu qualquer indicação de que Ancara tenha em vista voltar à mesa das negociações.

Tribunal espanhol determina que UEFA fica impedida de evitar Superliga

Competição que iria reunir algumas das melhores equipas do futebol europeu e mundial fica mais perto de se poder realizar. A UEFA terá feito uso da “posição de poder” para tentar impedir a realização da prova.
Comentários