Cores vibrantes com todo o estilo italiano

A marca italiana de slow fashion Moi Mimi já está disponível em Portugal e apresenta a sua coleção outono/inverno 21, onde a forte paixão pelo vestuário é protagonista.

A marca italiana de slow fashion Moi Mimi já está disponível em Portugal e apresenta a sua coleção outono/inverno para 2021, onde a forte paixão pelo vestuário é protagonista.

Os casacos estruturados em cores vibrantes como o fúcsia, o roxo e o amarelo, destacam-se como peças de afirmação e elegância.

Esta estação, as tendências permitem-nos usar a nossa criatividade ao misturar cores chamativas bastante distintas no mesmo look.

Assim, e para colorir os dias cinzentos, com a coleção atual da marca Moi Mimi é possível conjugar cores vibrantes em looks totais, de forma moderna e irreverente.

Encontre  as sugestões de inverno da Moi Mimi, de norte a sul do país em lojas selecionadas.

Recomendadas

Premium“O desenho pode ser um ponto de partida para começar uma coleção”

“Os portugueses conhecem os seus artistas, respeitam-nos e valorizam-nos”. Palavra de curadora, que é também diretora da única feira dedicada ao desenho em Portugal. Mónica Álvarez Careaga fala ao JE na identidade muito própria da Drawing Room Lisboa e da sua crescente “portugalidade”, que considera ser o reconhecimento de “várias gerações de excelentes artistas” portugueses.

PremiumSom harmonioso

Desenvolvido em segredo, o Co-Axial Master Chronometer Calibre 1932 é o primeiro movimento de relojoaria do mundo a fundir as funções de cronógrafo e de repetidor de minutos, necessitando do seu próprio “cérebro” mecânico para fazer soar o tempo decorrido.

PremiumSobre a necessidade de reinvenção de um continente no século XXI

Uma reportagem recente de um consórcio nacional de jornalistas trouxe para a luz do dia a existência de um número verdadeiramente assustador de elementos das forças de segurança portuguesas que não honram a farda, semeando o ódio, incentivando à violência e demonstrando um feroz racismo, quer contra cidadãos de etnia cigana, quer contra negros.
Comentários