Corkbrick Europa inicia ronda de investimento para angariar um milhão de euros

Em dez anos, a Corkbrick espera gerar um impacto positivo ao gerar dois mil milhões de euros, avaliados em função das metas ambientais delineadas pela UE, quer pelo Green Deal Europeu, quer por cumprir seis dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.

A startup portuguesa do sector da cortiça e arquitetura, Corkbrick Europe deu início a uma nova ronda de investimento com o objetivo de angariar um milhão de euros. Segundo a empresa, esta ronda vai permitir aumentar, em dez vezes, a produção da Corkbrick passando a fabricar quatro mil peças por dia.

A empresa conta com 250 investidores oriundos de 30 países e está avaliada em 250 milhões de euros. Entre os investidores estão executivos e ex-executivos de organizações como a Google, Cisco, Lego, Axel Capital, Universidade de Londres, Maitland Family Office e Miragon Investments.

Por sua vez, o valor do mercado potencial da empresa está avaliado em perto de 29 mil milhões de euros, entre a União Europeia e o Reino Unido, nomeadamente em países nórdicos como a Escandinávia, seguindo-se a Holanda e Alemanha.

“A Corkbrick Europe pretende alcançar 0,1% do total de 200 milhões de lares da União Europeia em dez anos. Os millennials, que representam 24% da população da UE, estão identificados como os nossos principais potenciais clientes e como a nossa prioridade para o mercado residencial”, sustentou o responsável da empresa, Miguel Reynolds Brandão

Em dez anos, a Corkbrick espera gerar um impacto positivo ao gerar dois mil milhões de euros, avaliados em função das metas ambientais delineadas pela UE, quer pelo Green Deal Europeu, quer por cumprir seis dos 17 objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas.

A Corkbrick Europe destaca-se ao ser uma empresa portuguesa, pioneira na criação de um sistema modular sustentável, feito de sete peças, manuseáveis por pessoas dos 8 aos 88. A empresa oferece uma solução, tanto para ambientes residenciais como de trabalho. A oferta insere-se no modelo “Ready-To”, que representa 10% do mercado de móveis da UE, avaliado em 80 mil milhões de euros e que supera o mercado em crescimento e rentabilidade.

Atualmente é a única empresa que utiliza elementos em cortiça para o sistema modular de construção, enquanto o concorrente direto tem como recurso o plástico, sendo a cortiça um material que se destaca pelos numerosos atributos, entre os quais o facto de ser um material natural e reciclável, além de menos dispendioso, mas também por oferecer benefícios térmicos e de insonorização.

As peças desenhadas pela Corkbrick Europe assemelham-se às peças da Lego, e esta forma elimina a necessidade de ferramentas como parafusos ou cola.

Recomendadas

PremiumContrato que prevê bónus milionário da CEO da TAP não é válido

JE revela contrato de Christine Ourmières-Widener: prevê exercício de funções até 2026 e bónus de até três milhões de euros. Mas não chegou a ser ratificado em AG da TAP.

PremiumLeia aqui o Jornal Económico desta semana

Esta sexta-feira está nas bancas de todo o país a edição semanal do Jornal Económico. Leia tudo na plataforma JE Leitor. Aproveite as nossas ofertas para assinar o JE e apoie o jornalismo independente.

Contrato da CEO da TAP: “Não é só falta de retificação, é falta de aprovação”

O advogado Rogério Alves reagiu à notícia avançada pelo Jornal Económico. O contrato de Christine Ourmières-Widener com a TAP não só não foi retificado em AG como não foi aprovado. “Isto politicamente tem um custo”, diz.
Comentários