Costa apresentou prioridades da Presidência portuguesa aos embaixadores dos países da UE

Primeiro-ministro reuniu esta manhã por videoconferência com os Embaixadores dos Estados-membros da União Europeia para apresentar os pilares da estratégia da Presidência portuguesa do Conselho da União Europeia.

Yves Herman/EPA via Lusa/POOL

O primeiro-ministro, António Costa, apresentou esta segunda-feira aos Embaixadores dos países da União Europeia as prioridades estratégicas da Presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), que arranca a 1 de janeiro.

“Reuni-me hoje, por videoconferência, com os Embaixadores dos Estados-membros da União Europeia, a quem apresentei as prioridades da Presidência Portuguesa do Conselho da UE: uma recuperação assente nas transições climática e digital; o desenvolvimento do Pilar Social da União Europeia, enquanto base de confiança de que esta dupla transição não deixará ninguém para trás; e o reforço da autonomia estratégica de uma Europa aberta ao Mundo”, escreveu o chefe de Governo, numa publicação no Twitter.

Portugal sucede à Alemanha na presidência rotativa do Conselho da União Europeia a 1 de janeiro de 2021 e até 30 de junho. Portugal precede, assim, à Eslovénia.

O Conselho da União Europeia é a instituição que representa os governos dos Estados-membros junto da UE, reunindo os ministros ou secretários de Estado para adoptar legislação e coordenar políticas. Segundo a informação divulgada pelo Governo durante o próximo semestre, Portugal vai: planear e presidir às reuniões do Conselho e das suas instâncias preparatórias e representar o Conselho nas relações com as outras instituições da UE.

Relacionadas

“Fim de linha” de “compromisso histórico”. Geringonça em Portugal está desgastada, avisa Financial Times

A conhecida publicação britânica destaca as votações para o Orçamento do Estado, em que BE e PCP votaram frequentemente junto da direita, sendo que a aprovação do documento fez-se apenas por três votos e com a abstenção do PCP.

Marques Mendes não vê remodelações no Governo até ao final da Presidência portuguesa da UE

Apesar das saídas de dois Secretários de Estado, Marques Mendes não considera que estas alterações configurem uma verdadeira remodelação no executivo. Quanto ao possível regresso de Passos Coelho, o comentador e antigo líder social-democrata antecipa que a insatisfação no eleitorado mais à direita poderá ditar uma futura candidatura à Presidência ou à chefia do Governo.
Recomendadas
Carlos Moedas

Moedas diz que classe política “tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”

O presidente da Câmara de Lisboa considerou hoje que o 1.º de Dezembro ensinou que a “classe política tem que dar o exemplo de devoção pelo bem comum”, não podendo fechar-se “sobre si mesma” ou considerar ser “imune à crítica”.

Costa apela para celebração da “força da bandeira nacional” em mensagem do Dia da Restauração

 O primeiro-ministro António Costa homenageou hoje a “memória dos que lutaram e contribuíram” para a restauração da independência de Portugal, apelando para a celebração da “soberania” e da “força da bandeira nacional”, numa mensagem evocativa do 1.º de dezembro.

Marcelo agradece a ciganos que “deram a vida pela independência” e lamenta discriminação

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lembrou hoje os ciganos que “deram a vida” pela independência nacional e lamentou a discriminação de que têm sido alvo em Portugal.
Comentários