Costa considera quarta dose da vacina em Portugal

“Está neste momento a decorrer uma nova compra, um processo de compra de uma vacina adaptada já à Omicron”, disse o primeiro-ministro.

Paulo Cunha/Lusa

O primeiro-ministro, António Costa falou sobre a possibilidade de ser administrada uma quarta dose da vacina contra a Covid-19 em Portugal, nesta quinta-feira, e garantiu que o país terá condições para avançar com a dose de reforço.

“Está neste momento a decorrer uma nova compra, um processo de compra de uma vacina adaptada já à Ómicron, que só estará disponível depois da primavera e nós já apresentamos o nosso pedido de aquisição dessas vacinas”, referiu António Costa a partir de Bruxelas.

O governante acrescentou que a compra vai assegurar que o país terá “todas as condições para poder adotar uma quarta vacina de reforço se ela vier a ser necessária como é de prever que virá a acontecer”.

A quarta dose da vacina a pensar, como explicou o primeiro-ministro, deve-se à Omicron que se tem propagado mais rápido do que a variante Delta e tem suscitado algumas preocupações. Atualmente Portugal regista 69 casos da variante Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2, com os últimos dados a revelarem uma “tendência fortemente indicadora da existência de circulação comunitária”, apontou na terça-feira o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

Por sua vez, o investigador do INSA João Paulo Gomes explicou, à agência Lusa que a variante que foi detetada pela primeira vez na África do Sul já representa 10% dos casos da Covid-19.

“Já não estamos a falar nas dezenas de casos, podemos falar sim em termos da prevalência da Ómicron em Portugal que suspeitamos que nos últimos dias tenha atingido já 9% a 10%”, afirmou.

 

Relacionadas

Costa já admite mais restrições depois de 9 de janeiro (com áudio)

Preocupado com a Ómicron, o primeiro-ministro admitiu também que vai ser preciso “manter as medidas de controlo das fronteiras”.
Recomendadas

SIC: Alargamento da dedução dos juros da habitação em sede de IRS poderá abranger mais de 660 mil famílias

Segundo a SIC Notícias, se a medida for incluída no Orçamento do próximo ano, como se espera, poderá abranger mais de 660 mil famílias. 

OE2023: PAN critica “rumo de desvalorização salarial” da função pública

A porta-voz do PAN criticou hoje a proposta de aumentos salariais para a função pública, apontando um “rumo de desvalorização salarial” e alertando que os funcionários públicos “viverão com menos recursos” no próximo ano.

OE2023: Iniciativa Liberal vai insistir no desagravamento de vários impostos

O líder da Iniciativa Liberal (IL) disse hoje, em Coimbra, que o partido vai apresentar cerca de uma dúzia de propostas de alteração ao Orçamento de Estado para 2023, que visam o desagravamento de vários impostos.
Comentários