Costa diz que foi Santana quem “manifestou interesse em que a Santa Casa entrasse” no Montepio

Questionado sobre a alegação de que o Governo pediu à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa para investir no Montepio Geral, Costa ressalvou que “não há nenhuma decisão” quanto a esse investimento e disse que foi o então provedor Santana Lopes quem “manifestou interesse” no investimento em causa.

O chefe da bancada parlamentar do PSD, Hugo Soares, questionou diretamente o primeiro-ministro António Costa: “A que propósito e a que título solicitou à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa que investisse no Montepio?” Na resposta, Costa leu excertos do recente comunicado de Pedro Santana Lopes (ex-provedor da Santana Casa da Misericórdia de Lisboa e atual candidato à liderança do PSD) e concluiu que “a auditoria continua a não estar concluída e não há nenhuma decisão.”

“Como sabe, recordar-se-á que o antigo provedor [Pedro Santana Lopes] da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa manifestou interesse em que a Santa Casa entrasse naquela instituição. Foi entendido que no quadro do Montepio Geral, tendo em conta a natureza e o vínculo, seria necessário adoptar medidas,” declarou Costa. No entanto, o primeiro-ministro referiu-se também à intenção de “ter um importante banco do terceiro setor, do setor social, recolhendo a participação de misericórdias e outas entidades do terceiro setor. Foi nesse sentido que foi discutido com a Santa Casa essa possibilidade.”

Relacionadas

Nuno Mota Pinto no Montepio com benção do BdP e Santa Casa

Nuno Mota Pinto só aceitou assumir a presidência executiva do Montepio depois de falar com a vice-governadora Elisa Ferreira e com a Santa Casa.

Montepio: Rui Moreira diz que Santa Casa usa o dinheiro das apostas para “fazer uma aposta”

O presidente da Câmara do Porto critica o investimento de 200 milhões da Santa Casa de Lisboa Associação Mutualista por 10% do Montepio. Compara-o a uma aposta num casino de Las Vegas e diz que a “probabilidade de correr bem não deve ser muito diferente”.

Santa Casa injeta 200 milhões no Montepio

A Santa Casa vai pagar 200 milhões à Associação Mutualista por 10% do Montepio, mas o banco deve fazer um aumento de capital nesse montante.
Recomendadas

CMVM: “É notório o crescimento da divergência dos padrões de poupança das famílias portuguesas”

“A poupança de longo prazo exige disciplina e empenho além de, naturalmente, um nível de rendimento que permita poupar. Esta combinação de condições ajuda a explicar o baixo nível de poupança em Portugal e em outros países que nos são próximos”, reconhece Rui Pinto.

Novobanco pesou 37,6% do dinheiro injetado pelo Estado na banca desde 2008 até 2021

A CGD beneficiou de 5.458 milhões de euros; o BES/Novobanco recebeu 8.291 milhões (valor do saldo negativo para o Estado); o BPN consumiu 6.146 milhões; o BPP beneficiou de 268 milhões e o Banif 2.978 milhões. Isto são as causas para o saldo desfavorável para o Estado que soma 22.049 milhões de euros.

Governos podem precisar de taxar empresas de energia para ajudar os mais pobres, diz CEO da Shell

O presidente executivo da Shell considera que o mais importante é “proteger os mais pobres” e como tal os governos podem vir a precisar de taxar empresas de energia. “Há uma discussão a ser feita sobre isso, mas acho que é inevitável” a necessidade de intervenção, considerou.
Comentários