Covid-19: Açores enviam duas amostras para o INSA para confirmação de Ómicron

“Foram identificados na Região Autónoma dos Açores dois casos positivos de infeção por SARS-CoV-2 com perfil SGTP (S Gene Target Failure), sendo os perfis moleculares compatíveis com a estirpe B.1.1.529 (Ómicron)”, lê-se no comunicado da Autoridade de Saúde Regional dos Açores.

Os Açores registaram duas suspeitas de infeção pela variante Ómicron do SARS-CoV-2, tendo já enviado as amostras para confirmação para o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), revelou hoje a Autoridade de Saúde Regional.

“Foram identificados na Região Autónoma dos Açores dois casos positivos de infeção por SARS-CoV-2 com perfil SGTP (S Gene Target Failure), sendo os perfis moleculares compatíveis com a estirpe B.1.1.529 (Ómicron)”, lê-se no comunicado da Autoridade de Saúde Regional dos Açores.

A entidade acrescenta que “as amostras já foram enviadas para sequenciação genómica e confirmação no INSA”.

Segundo a Autoridade de Saúde Regional, um dos casos foi identificado na terça-feira, na ilha Terceira, e o outro hoje na ilha de São Miguel, “respetivamente pelo Serviço Especializado de Epidemiologia e Biologia Molecular do Hospital de Santo Espírito da Ilha Terceira e pela Unidade de Genética e Patologia Molecular do Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada”.

A Lusa contactou o INSA, mas não foi possível obter informação adicional.

A variante Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, em 24 de novembro, foram notificadas infeções em, pelo menos, 77 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Segundo o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, na terça-feira tinham sido detetados 69 casos da variante Ómicron em Portugal e os dados existentes indicavam uma “tendência fortemente indicadora da existência de circulação comunitária”.

A covid-19 provocou pelo menos 5.320.431 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.698 pessoas e foram contabilizados 1.205.993 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Os Açores têm atualmente 278 casos ativos de infeção, dos quais 225 em São Miguel, 39 na Terceira, cinco no Faial, quatro no Pico, dois no Corvo, dois nas Flores e um em Santa Maria.

Desde o início da pandemia, a região contabilizou 10.466 casos de infeção pelo SARS-CoV-2, 9.951 recuperações e 48 mortes.

Recomendadas

Covid-19: Pandemia provocou mais 300 mil mortes na UE do que as oficiais, diz OCDE

“No final de outubro de 2022, mais de 1,1 milhões de mortes de covid-19 foram reportadas em todos os 27 países da UE, mas os dados sobre o excesso de mortalidade sugerem que se trata de uma subestimativa e que mais 300 mil pessoas morreram devido ao efeito direto ou indireto da pandemia”, refere o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e da Comissão Europeia (CE).

Covid-19: Problemas de saúde mental aumentaram na Europa, sobretudo nos jovens

A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) explica no relatório comparativo da situação de saúde na Europa que, enquanto em 2019 a percentagem de jovens entre 15 e 24 anos com sintomas de depressão era de 6%, contra 7% nos adultos, com o coronavírus os números aumentaram em todos os países para os quais existem dados.

Covid-19: Várias cidades da China relaxam medidas de prevenção epidémica

Várias cidades chinesas estão a abolir algumas medidas de prevenção contra a Covid-19, sinalizando o fim gradual da estratégia ‘zero casos’, que manteve o país isolado durante quase três anos e afetou a economia.
Comentários