Covid-19: Bolsonaro diz que a melhor vacina contra a covid-19 é o próprio vírus

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, um dos líderes mundiais mais céticos em relação à pandemia, afirmou hoje que a “melhor vacina” contra a covid-19 é o próprio vírus, que já matou quase 190 mil pessoas no país.

“Eu tive a melhor vacina: foi o vírus. E sem efeito colateral”, disse Bolsonaro – que contraiu o novo coronavírus e já se recuperou da doença -,a um grupo de apoiantes, a grande maioria sem máscara, durante a sua visita à cidade de São Francisco do Sul, no estado de Santa Catarina, na fronteira com a Argentina.

Tal como já fez nos últimos dias, Bolsonaro voltou a reunir-se com apoiantes sem recorrer ao uso de equipamentos de proteção contra a covid-19 e chegou a declarar a um dos seus seguidores que “não usa” esse tipo de material.

O chefe de Estado costuma reunir-se com os seus ministros, participar em eventos públicos e receber apoiantes fora do Palácio da Alvorada, a sua residência oficial em Brasília, sem usar máscara ou sem manter o distanciamento social.

Desde o início da pandemia no Brasil, registada oficialmente no país em fevereiro, Bolsonaro minimizou em várias ocasiões a gravidade do novo coronavírus, que chegou a classificar de “gripezinha”, embora tenha reconhecido na semana passada que se houve “extrapolações ou exageros” foi no intuito de encontrar uma solução para a pandemia.

O líder de extrema-direita também defendeu o uso de tratamentos sem comprovação científica para combater a doença, como a hidroxicloroquina, e, mais recentemente, opôs-se à obrigatoriedade da vacina, que acabou por ser determinada pelo Supremo Tribunal Federal do país.

Esta semana, Bolsonaro criticou ironicamente a vacina do consórcio Pfizer-BionTech (Estados Unidos-Alemanha), ao dizer que aquele fabricante se eximiu de responsabilidades pelos possíveis efeitos colaterais do imunizante.

“Lá, no contrato da Pfizer, está bem claro: nós [a Pfizer] não nos responsabilizamos por qualquer efeito secundário. Se você se tornar num jacaré, o problema é seu”, publicou o chefe de estado na rede social Twitter.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo maior número de mortos (189.220 e mais de 7,3 milhões de casos), depois dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.718.209 mortos resultantes de mais de 77,9 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendadas

Guterres manifestou a embaixador russo oposição a anexação de territórios

Antes, António Guterres alertou a Rússia que a anexação de territórios ucranianos “não terá valor jurídico e merece ser condenada”, frisando que “não pode ser conciliada com o quadro jurídico internacional”.

Brasil. Equipa assegurará “perfeita realização” das eleições em Portugal

Paulino Franco de Carvalho Neto, secretário de assuntos multilaterais políticos do ministério, designado como Itamaraty, disse em conferência de imprensa no consulado-geral do Brasil em Lisboa que o ministro Carlos França enviou uma equipa para acompanhar os serviços dos consulados em Portugal durante o ato eleitoral.

Preços da energia em Itália vão subir ainda mais apesar de já estarem elevados

O Executivo de Roma já dedicou este ano 60 mil milhões de euros a medidas para procurar reduzir o impacto da subida destes preços.
Comentários