Covid-19: Cerca de 61 mil crianças inscritas para vacinação no fim de semana

Sábado e domingo tem início da vacinação das crianças, começando pelos menores de nove, 10 e 11 anos, num processo que o Governo estima que fique concluído em março, altura em que serão administradas as segundas doses.

criancas-covid

Cerca de 61 mil crianças estão inscritas para serem vacinadas contra a covid-19 no próximo fim de semana, 13 mil das quais autoagendadas nas últimas 24 horas, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

“Foram realizados, até às 18:30 de hoje, cerca de 61 mil pedidos `online´ para a vacinação contra a covid-19 para o próximo fim de semana, dias 18 e 19 de dezembro”, adiantaram em comunicado os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde e a DGS.

Sábado e domingo tem início da vacinação das crianças, começando pelos menores de nove, 10 e 11 anos, num processo que o Governo estima que fique concluído em março, altura em que serão administradas as segundas doses.

As crianças com comorbilidades têm prioridade, independentemente da idade, desde que tenham prescrição médica, bastando dirigir-se aos centros para receberem a vacina contra o SARS-CoV-2.

A decisão de vacinar as crianças entre os 5 e os 11 anos resulta da recomendação da Direção-Geral da Saúde, depois de ouvida a Comissão Técnica de Vacinação e ponderadas as questões de natureza logística com o núcleo de coordenação de apoio ao Ministério da Saúde, nomeadamente a disponibilidade de vacinas da Pfizer, na versão pediátrica.

No próximo fim de semana, os centros de vacinação estão exclusivamente reservados para a administração de vacinas às crianças de nove, 10 e 11 anos.

A covid-19 provocou pelo menos 5.328.762 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.717 pessoas e foram contabilizados 1.211.130 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como “preocupante” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 77 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Recomendadas

GP da China de Fórmula 1 de 2023 cancelado devido à covid-19

Numa nota publicada no sítio oficial na internet do campeonato, a Fórmula 1 anunciou que, “após um diálogo com o promotor [local] e as autoridades”, o GP da China de 2023 “não se realizará devido a dificuldades criadas pela situação da covid-19”.

Proposta do Chega para criar comissão de inquérito à gestão da pandemia será chumbada (com áudio)

Instrumentalização e banalização de comissões parlamentares de inquérito, esbanjamento de recursos, descredibilização de consensos e criação de ‘soundbite’ são as acusações dirigidas por PS, PAN e Livre ao Chega. Desde o início da legislatura, o partido já propôs cinco comissões parlamentares de inquérito, todas rejeitadas. O dia de hoje contribuirá para a tendência.

Pequim admite que Ómicron é menos virulenta e sugere fim de ‘zero covid’

A vice-primeira-ministra chinesa encarregue de supervisionar as políticas de prevenção epidémica reconheceu hoje que o país se encontra numa “situação nova” e que a virulência da covid-19 “está a enfraquecer”, sinalizando o fim da estratégia ‘zero casos’.
Comentários