DGS avalia redução do período de isolamento “nas próximas horas”

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, disse que estão a ser avaliados vários indicadores, nomeadamente a incidência e a transmissibilidade da infeção e os internamentos.

António Cotrim/Lusa

A Direção-Geral da Saúde (DGS) indicou hoje que “está a avaliar tecnicamente” a questão da redução do período de isolamento de infetados com o coronavírus que causa a covid-19 e a recolher provas científicas.

Questionada pela Lusa sobre o assunto, citando o caso dos Estados Unidos, que diminuiu o isolamento dos infetados assintomáticos e dos contactos de risco, a DGS referiu, sem mais detalhes, que “está a recolher a melhor evidência científica e a avaliar tecnicamente essa questão”.

Em declarações à SIC, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, disse que estão a ser avaliados vários indicadores, nomeadamente a incidência e a transmissibilidade da infeção e os internamentos.

Antes, em entrevista à RTP, Lacerda Sales admitiu que, perante a evolução da pandemia, a redução do período de isolamento, adotada também pela Região Autónoma da Madeira e Reino Unido, “é uma possibilidade”, sendo uma “matéria que está a ser estudada” pela DGS.

Hoje, após a reunião do Conselho de Ministros, o ministro do Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, remeteu uma decisão sobre o assunto para as autoridades de saúde, em particular para a DGS, assinalando que em causa está uma decisão técnica e não política.

A Ordem dos Médicos considera que a nova fase da pandemia da covid-19 exige “uma adaptação ágil” das normas e procedimentos, recomendando a redução do isolamento de dez para sete dias.

A Madeira reduziu hoje para cinco dias o isolamento de infetados assintomáticos com o vírus que causa a covid-19 e de quem contactou com casos positivos, acabando mesmo com a quarentena de contactos vacinados com a terceira dose.

As mudanças devem-se à predominância da variante Ómicron do SARS-CoV-2 e à “atual evidência científica”, que “sugere que a maior parte da transmissão” ocorre “no início do curso da doença”, geralmente, nos dois dias “antes do início dos sintomas” e dois a três dias depois, segundo uma circular da Secretaria Regional de Saúde e Proteção Civil da Madeira.

Os Estados Unidos reduziram de dez para cinco dias a duração do período de isolamento das pessoas que testam positivo para a covid-19, desde que estejam assintomáticas.

De acordo com fonte dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças norte-americano, a orientação está em sintonia com indicações crescentes de que as pessoas infetadas com o novo coronavírus são mais contagiosas dois dias antes e três dias depois de desenvolverem sintomas.

O Reino Unido diminuiu o período de isolamento de dez para sete dias para pessoas vacinadas que ficaram infetadas.

A Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública entende que a informação científica que suporta a redução do período de isolamento de doentes com covid-19 “não é muito robusta”, defendendo que as vantagens desta medida devem ser discutidas.

Relacionadas

De Espanha aos EUA, países estão a encurtar período de isolamento. E Portugal?

Espanha foi o último país a confirmar a redução do período de isolamento para quem fique infetado com Covid-19 por temer, à semelhança do que acontece nos EUA, que o aumento do número de pessoas infetadas provoque uma escassez de trabalhadores e, consequentemente, condicione o funcionamento da economia.

Covid-19. Manuel Carmo Gomes defende alterações às políticas de rastreio e redução do período de isolamento

Numa altura em que se assiste a um novos máximos de casos confirmados, o epidemiologista Carmo Gomes defende que os critérios das cadeias de transmissão devem ser reforçadas, argumentando que o número de dias de isolamento deve ser reduzido.

Madeira fixa em cinco dias isolamento para casos positivos de Covid-19 sem sintomas

Nos cinco dias seguintes é necessário o uso de máscara (com capacidade de filtração mínima de uma máscara cirúrgica, bem ajustada). Se o indivíduo apresentar sintomas, o isolamento deve ser mantido até ao desaparecimento dos sintomas, explica a Direção Regional de Saúde.
Recomendadas

Desobediência civil. China enfrenta protestos por medidas anti-Covid

Conta a agência Reuters que os protestos na China estão a intensificar-se e que nunca se viu nada assim desde que Xi Jinping assumiu o poder (há uma década), numa altura em que Pequim enfrenta o pior surto desde o início da pandemia com o encerramento de escolas e muitos trabalhadores em teletrabalho.

Pandemia custou ao Estado português 3.302,7 milhões de euros até outubro

No período homólogo, a pandemia de covid-19 tinha custado 6.247,9 milhões de euros ao Estado, segundo foi então divulgado pela Direção-Geral do Orçamento.

Covid-19: Transmissão do vírus está no limiar de 1,00 e média de casos baixa para 749

O índice de transmissibilidade (Rt) do vírus que provoca a covid-19 está no limiar de 1,00 em Portugal e a média de infeções baixou para os 749 casos diários, anunciou hoje o Instituto Ricardo Jorge (INSA).
Comentários