DGS lança campanha de apelo ao cumprimento das medidas de segurança

Esta iniciativa advém da atual situação epidemiológica, que se está a agravar, nomeadamente com a nova variante Ómicron, com transmissibilidade superior às variantes já conhecidas.

No mês de dezembro, a Direção-Geral da Saúde (DGS) lançou uma campanha de sensibilização para o cumprimento das medidas de prevenção contra a COVID-19.

Esta iniciativa advém da atual situação epidemiológica, que se está a agravar, nomeadamente com a nova variante Ómicron, com transmissibilidade superior às variantes já conhecidas.

Em comunicado à imprensa, a DGS reforça que nesta quadra natalícia “é particularmente relevante que as festas de família e os convívios decorram com o máximo de segurança”.

Recorrendo a  várias iniciativas e vários parceiros e influenciadores com forte presença nas redes sociais, a DGS tem reforçado a presença nos órgãos de comunicação regionais, de modo a garantir a transmissão de mensagens por todo o território continental e regiões autónomas.

A DGS destaca uma nova iniciativa lançada na véspera de natal, dia 24 de dezembro, com a Liga Portuguesa de Futebol, a qual lança um apelo de que “este jogo ainda não acabou”, lembrando aos adeptos mas também à população em geral, que ainda nos encontrarmos numa pandemia. Esta campanha, que conta com a participação de vários treinadores principais de clubes que competem na Liga Portugal bwin e na Liga Portugal SABSEG, é multicanal, recorrendo a diversos meios de comunicação.

“Evidenciar que, na luta contra a pandemia, somos todos da mesma equipa, é o objetivo desta iniciativa”, avança a DGS.

O papel das redes sociais da DGS e do Serviço Nacional de Saúde no Facebook, Instagram e Twitter, são outros meios de divulgação de recomendações, com a divulgação de infografias e vídeos. De referir também as páginas da DGS (https://www.dgs.pt ) e a página https://covid19.min-saude.pt.

Recomendadas

OE2023: Marcelo diz que previsões são melhores do que esperava mas não são “maquilhagem política”

O Presidente da República afirmou hoje que as previsões económicas do Governo para 2023 são melhores do que esperava, mas considerou que não são “um exercício de maquilhagem política”, embora admitindo que posam falhar.

PCP considera que OE2023 deve dar prioridade à “recuperação e valorização de salários e pensões”

A líder do grupo parlamentar sublinha que o Governo “vai prolongar a perda do poder de compra por parte da esmagadora maioria dos trabalhadores”, depois de se ter reunido com o Executivo de António Costa.

Governo prevê PIB a crescer 1,3% e défice de 0,9% no próximo ano

O cenário macroeconómico da proposta de Orçamento do Estado para 2023, que está hoje a ser apresentado aos partidos, contempla prevê um abrandamento do crescimento económico de 6,5%, este ano, para 1,3% no próximo. Inflação mantém-se no patamar do OE2022 de 4% e dívida cai para 110,8%.
Comentários