Covid-19: Lagarde alerta sobre choque como o de 2008 e sinaliza que o BCE irá tomar medidas

Segundo a “Bloomberg”, Lagarde disse aos líderes da União Europeia numa teleconferência esta terça-feira à noite que sem ação coordenada a Europa “irá ver um cenário que nos irá fazer recordar a grande crise financeira de 2008”, mas adiantou que com a resposta apropriada o choque poderá ser temporário.

BCE

A presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde, alertou que a Europa arrisca sofrer um choque económico semelhante à crise económica e financeira da 2008 se os líderes não agirem de forma concertada em relação ao novo coronavírus, sinalizindo também que o banco central da zona euro poderá tomar medidas ainda esta semana.

Segundo a “Bloomberg”, Lagarde disse aos líderes da União Europeia numa teleconferência esta terça-feira à noite que sem ação coordenada a Europa “irá ver um cenário que nos irá fazer recordar a grande crise financeira de 2008”, mas adiantou que com a resposta apropriada o choque poderá ser temporário.

O Conselho de Governadores do BCE realiza esta quinta-feira a reunião de política monetária. Após a Reserva Federal, na semana passada, e o Banco de Inglaterra, esta quarta-feira, terem reduzido as taxas de juro em 50 pontos base, os analistas dizem que o BCE não tem opção senão tomar medidas, que poderão passar pela redução da taxa de depósito ou um aumento do volume de compra de ativos.

 

Relacionadas

PremiumReserva Federal deu tiro de partida, mas arsenal do BCE é escasso

Lagarde não tem uma ‘bazuca’ para disparar contra os efeitos do vírus, portanto vai ter de anunciar um combate direcionado, dizem analistas.

BCE quer que bancos europeus assegurem segurança dos trabalhadores face à propagação do coronavírus

“Os preparativos para a segurança dos funcionários e a continuidade dos negócios devem incluir a consideração dos principais riscos associados a uma potencial pandemia”, lê-se na carta enviada pelo BCE de Christine Lagarde aos bancos da zona euro.
Recomendadas

PremiumEfeitos base levam Portugal a liderar crescimento europeu

Os 6,7% de 2022 ficam bem acima dos 3,5% da zona euro e até da previsão de 6,5% do Governo, mas refletem um atraso na recuperação da economia nacional. Inflação voltou a recuar abaixo da europeia, mas core ainda preocupa.
gasolina_combustiveis_greve_motoristas

Governo mantém apoios aos combustíveis em fevereiro. Gasolina com maior desconto

Esta decisão significa que, em fevereiro, há um alívio na carga fiscal dos combustíveis. Considerando todas as medidas em vigor, a redução da carga fiscal passará a ser de 35,9 cêntimos por litro de gasóleo e de 34,8 cêntimos por litro de gasolina, refere o gabinete de Fernando Medina.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta sexta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta sexta-feira.
Comentários