Covid-19: Mais de 41 mil crianças vacinadas até às 19 horas

Cerca de 41.200 crianças foram vacinadas contra a covid-19 até às 19:00 de hoje, anunciou o Ministério da Saúde.

Reuters

De acordo com comunicado dos Serviços Partilhados do ministério e da Direção-Geral da Saúde, das crianças vacinadas 37.900 tinham feito o agendamento prévio, tendo as restantes beneficiado da oportunidade de vacinação sem marcação.

“A vacinação das crianças desta faixa etária prossegue [domingo], de acordo com os agendamentos feitos durante a semana. Apela-se a todos os utentes com agendamento para este domingo para que respeitem o horário marcado para a vacinação, de forma a garantir a fluidez de todo o processo”, acrescentou o mesmo comunicado.

Cerca de 77 mil crianças de 9, 10 e 11 anos começaram hoje a ser vacinadas contra a covid-19, um processo que se prolonga pelo fim de semana, com os centros reservados apenas para esta faixa etária.

Hoje e domingo é o primeiro período destinado a vacinar os menores entre os 5 e os 11 anos, com o Governo a estimar que as segundas doses da vacina pediátrica da Pfizer sejam administradas entre 05 de fevereiro e 13 de março do próximo ano.

Até lá, está previsto que, entre 06 e 09 de janeiro, sejam vacinadas as crianças que têm entre 9 e 7 anos, ficando reservados os dias 15 e 16 para a administração da primeira dose ao grupo dos 6 e 7 anos, enquanto a 22 e 23 do mesmo mês serão vacinadas as de 5 anos.

As crianças com comorbilidades terão prioridade para serem vacinadas, independentemente da idade, desde que tenham prescrição médica, bastando que se se dirijam aos centros para receberem a vacina contra o SARS-CoV-2.

O autoagendamento para a vacinação das crianças contra a covid-19 foi aberto na segunda-feira, dias depois de o Governo ter sido anunciado a decisão de vacinar esta faixa etária, na sequência da recomendação da Direção-Geral da Saúde.

Recomendadas

Subfinanciamento do Estado pode colocar em causa qualidade dos cuidados continuados, revela estudo

O valor pago pelo Estado a instituições da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) é “significativamente inferior” aos custos, um subfinanciamento que pode colocar em causa a qualidade dos serviços, alerta um estudo hoje divulgado.

Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.

Associação alerta que acesso a medicamentos genéricos pode ficar comprometido

“Caso não sejam implementadas medidas urgentes para assegurar a sustentabilidade da cadeia de produção dos medicamentos genéricos e biossimilares, é o acesso dos cidadãos à saúde que está comprometido”, adiantou a presidente da APOGEN.
Comentários