Covid-19. Mais de 64 mil pessoas vacinadas com dose de reforço nas últimas 24 horas

Já para a vacinação da gripe o número de pessoas vacinadas nas últimas 24 horas foi de 16.669, num total de 2.213,426 milhões de cidadãos.

Nas últimas 24 horas foram vacinadas mais 64.400 pessoas em Portugal com dose de reforço contra a Covid-19, num total de 1.982,281 milhões, segundo os dados divulgados pela Direção Geral de Saúde (DGS) este domingo, 12 de dezembro.

Já para a vacinação da gripe o número de pessoas vacinadas nas últimas 24 horas foi de 16.669, num total de 2.213,426 milhões de cidadãos. Encontram-se atualmente com a vacinação primária completa 8.622,014 cidadãos, sendo que nas últimas 24 horas foram vacinadas mais 3.926 pessoas.

Em relação às faixas etárias foram vacinadas com dose de reforço 550.185 mil pessoas com 80 ou mais anos, 699.889 cidadãos entre os 70 e 79 anos de idade e 356.417 pessoas entre os 65 e 69 anos.

A DGS informa também que o autoagendamento está disponível para pessoas com 65 ou mais anos, encontrando-se igualmente disponível a modalidade ‘Casa Aberta’ para utentes com idade igual ou superior a 75 anos. São elegíveis para a dose de reforço no regime de ‘Casa Aberta’ os utentes que não tiveram Covid-19 nos últimos 150 dias e já completaram o esquema vacinal há pelo menos 150 dias.

Portugal registou hoje mais 3.879 casos de covid-19 e 13 mortes provocadas pela doença e um aumento nos internamentos em enfermaria, com mais 12 pessoas internadas nos hospitais, de acordo com os dados oficiais hoje divulgados.

De acordo com o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) de atualização da evolução da pandemia em Portugal, nas últimas 24 horas foram internadas mais 12 pessoas em enfermaria, aumentando o total de internamentos para 964, e mais uma pessoa em unidades de cuidados intensivos (UCI), elevando o total para 143.

Portugal regista mais 1.397 pessoas recuperadas da doença nas últimas 24 horas, o que coloca o total de casos ativos no país em 68.117, mais 2.469 do que no sábado.

Recomendadas

Cenário económico não anula metas de descarbonização

O cenário de uma possível recessão, associada à já frágil conjuntura macroeconómica, não assusta o sector, que diz estar “bem mais preparado” do que em 2008. As fragilidades herdades da pandemia persistem, mas importa não perder o foco das metas estabelecidas.

PremiumMudar o sector alimentar para atingir metas de carbono zero

Mesmo que todas as emissões nocivas fossem imediatamente interrompidas, as emissões do sistema alimentar global seriam suficientes para elevar o limite de subida da temperatura global em 1,5°C graus.

Projetos de transição vão sofrer com efeitos da crise

Os processos de transição climática em curso já estão a sofrer soluços no atual cenário macroeconómico e há lições a tirar. “Tudo vai custar muito mais do que se pensava”, garante o CEO da Madoqua Renewables ao Jornal Económico.
Comentários