Covid-19: Número de infetados com variante Ómicron na Madeira é indeterminado, diz secretário da Saúde

A 16 de dezembro autoridades da Madeira reportaram a primeira infeção com a variante Ómicron, um caso importado do Reino Unido, tendo Pedro Ramos afirmado na altura que a situação era “perfeitamente expectável”.

“Em relação àquela situação de termos só um caso confirmado da variante Ómicron, provavelmente não temos só um caso, até porque 30% dos passageiros que chegaram à Madeira desde 01 de julho de 2020, cerca de 200.000, são provenientes do Reino Unido, onde esta variante tem já uma prevalência muito elevada”, disse o secretário regional da Saúde, Pedro Ramos, após uma reunião com um grupo de empresários do setor da restauração e diversão noturna, no Funchal, na qual participaram também o secretário regional da Economia, Rui Barreto, e representantes da Associação Comercial e Industrial do Funchal (ACIF).

E reforçou: “Naturalmente, não será só um caso que possa existir na Madeira porque é uma variante de grande transmissibilidade”.

Pedro Ramos explicou que o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge já não tem capacidade para analisar todas as amostras que a região envia, fazendo-o de forma aleatória, pelo que admite a possibilidade de variante Ómicron estar a alastrar-se no arquipélago.

Em 16 de dezembro, autoridades da Madeira reportaram a primeira infeção com a variante Ómicron, um caso importado do Reino Unido, tendo Pedro Ramos afirmado na altura que a situação era “perfeitamente expectável”.

Em relação à reunião com os empresários, o secretário da Saúde sublinhou o “reforço do compromisso” no cumprimento das medidas de contenção determinadas pelo Governo Regional, que entraram em vigor a 20 de novembro e obrigam à apresentação de certificado de vacinação e teste negativo antigénio para acesso à maior parte dos recintos públicos e privados.

Pedro Ramos disse que o objetivo é “reforçar a segurança sanitária e continuar a promover e a estimular a economia da Região Autónoma da Madeira”, alertando para o facto de o Governo da República se preparar para anunciar novas restrições no período de Natal e fim de ano.

De acordo com os dados mais recentes da Direção Regional de Saúde, o arquipélago da Madeira, com cerca de 250.000 habitantes, regista 1.445 casos ativos de Covid-19, com 53 doentes hospitalizados, num total de 16.373 confirmados desde o início da pandemia.

A região autónoma sinaliza também 123 óbitos associados à doença.

Recomendadas

2022, ano de esperança: “recuperação criativa e comercial”

O que procura o consumidor num relógio? “Atualmente os clientes compram um relógio pela beleza da peça. Usam-no como uma joia e não como uma ferramenta”, diz Carlos Rosillo, CEO da Bell & Ross.

“Vamos manter a nossa presença no mercado e surpreender!”

A coleção de Natal que Eugénio Campos nos traz este ano é “acima de tudo, uma coleção com muita criatividade, inspirada na família e no sentimento, e pensada para que seja uma coleção de gerações”, garante o seu criador.

Joalharia, tradição, singularidade e mestria artesanal

As joias, testemunhos de ligação entre gerações, devem ser um legado de arte, de memórias e de valores. Fique a par das novidades de uma indústria pioneira na sustentabilidade.
Comentários