Covid-19: Recuperado, Biden reaparece em público e defende reforço da vacinação

Joe Biden reapareceu hoje em público, depois de superar a Covid-19, e aproveitou para incentivar os norte-americanos a vacinarem-se com doses de reforço, num momento em que o país regista um aumento de infeções devido à subvariante BA.5

EPA/OLIVER CONTRERAS / POOL

Ochefe de Estado norte-americano prestou declarações, sem direito a perguntas, a partir do relvado da Casa Branca, após ter testado negativo à covid-19 e cumprido os cinco dias de isolamento.

“Os meus sintomas foram leves. A recuperação foi rápida e sinto-me bem. Durante todo o tempo em que estive isolado, pude trabalhar, cumprir as minhas funções sem interrupção e isso é uma prova do ponto em que estamos na batalha contra a covid-19”, sublinhou o democrata.

Biden aproveitou para destacar as suas conquistas na luta contra a pandemia de covid-19 desde que assumiu a presidência do país em janeiro de 2021.

Os norte-americanos têm atualmente acesso a vacinas e doses de reforço, podem receber a testes gratuitos pelo correio e tratamentos, como o antiviral oral Paxlovid.

O próprio chefe de Estado norte-americano, de 79 anos, que testou positivo na semana passada, já recebeu duas doses da vacina e dois reforços, tendo também recebido o tratamento antiviral fabricado pela Pfizer, para recuperar da doença.

Na terça-feira, o Kevin C. O’Connor de Joe Biden tinha adiantado que o Presidente dos EUA praticamente já não tinha sintomas e sentia-se suficientemente bem para regressar ao exercício físico.

A Casa Branca anunciou na quinta-feira que Biden foi infetado com covid-19 e, no sábado, adiantou que, com base nos resultados preliminares, “provavelmente” contraiu a subvariante BA.5 da estirpe Ómicron, responsável por 75 a 80 % das infeções pelo novo coronavírus nos Estados Unidos.

Para destacar as conquistas da sua administração, Biden lembrou que quando o seu antecessor, Donald Trump, contraiu a doença, teve que deixar a Casa Branca de helicóptero e receber tratamento no hospital militar Walter Reed, no Estado de Maryland, onde ficou internado durante três dias.

“[Trump] Esteve gravemente doente. Felizmente recuperou. Quando contraí covid-19, pude continuar trabalhar no primeiro andar da Casa Branca”, frisou Biden.

A diferença entre as recuperações, insistiu o governante, são as vacinas, tratamentos e testes para detetar o vírus.

Joe Biden alertou ainda para a “muito contagiosa” subvariante BA.5 da estirpe Ómicron, responsável por 82% das infeções por covid-19 nos Estados Unidos, segundo dados Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) divulgados na terça-feira.

Em concreto, entre 25 de junho e 25 de julho, os casos aumentaram em média 4% em todo o país, com picos mais altos de infeções em alguns estados, como Dakota do Norte e Geórgia, segundo os CDC.

Nos Estados Unidos, onde as vacinas são gratuitas, apenas 67,2% da população recebeu duas doses, enquanto 48,2% receberam uma dose de reforço.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta terça-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta terça-feira.

Turquia tenta assegurar compra de caças F-16 norte-americanos

O Congresso norte-americano não está especialmente interessado em que a Turquia possa comprar mais 40 caças F-16 norte-americanos. Uma delegação de Ancara vai partir para os Estados Unidos para acompanhar a evolução do problema.

República Srpska aumenta cooperação económica com a Rússia

Apesar das sanções, apesar da possível entrada na União Europeia, apesar da oposição dos restantes elementos da Bósnia-Herzegovina, a parte sérvia de federação está a aumentar o grau de exposição à Rússia.
Comentários