Creches e ATL encerram a partir do dia de Natal

O primeiro-ministro, António Costa, garantiu esta terça-feira que haverá apoios às famílias que tenham de ficar com os filhos em casa.

Flickr

As creches e ATL vão fechar a partir da meia noite de dia 25 de dezembro, pelo menos, até ao próximo dia 10 de janeiro, anunciou esta terça-feira o primeiro-ministro depois da reunião extraordinária do Conselho de Ministros. “Vamos proceder, com apoio às famílias, ao encerramento de creches e ATLs”, afirmou António Costa.

O líder do Executivo garante que haverá apoios às famílias que tenham de ficar com os filhos em casa. Os auxílios não foram detalhados, mas deverão compreender os mesmos que foram aplicados nos anteriores confinamentos para quem tivesse de ficar com um menor de 12 anos devido ao encerramento da escola.

O processo de desconfinamento começou exatamente pelas creches e espaços de atividades de tempos livres. A 15 de março de 2021 Portugal deu o pontapé de saída na reabertura da economia, depois de cerca de dois meses de reforço do lockdown, reabrindo as creches, a pré-escolar, o 1º ciclo e os ATL.

Porém, só no final de outubro é que a Direção-Geral de Saúde (DGS) atualizou a norma relativas às creches, creches familiares e amas, informando que estes espaços já podem abrir as portas aos pais, dando-lhes assim permissão para entrar nas instalações para deixar e ir buscar os seus filhos.

Durante vários meses, as crianças até aos três anos eram entregues e recolhidas à porta das creches. Só mais tarde a norma da DGS veio prever que o encarregado de educação possa – com recomendação de uso de máscara – entrar nas instalações, devendo ainda assim respeitar “o distanciamento físico”, bem como evitar aglomerados.

Recomendadas

Desafios tecnológicos, burocracia, renováveis e perda de água em debate

A transição energética em Portugal e na Europa esteve em debate na conferência do sexto aniversário do Jornal Económico.

Transição energética não pode ser feita sem as pessoas

Empresas do sector energético destacam a importância das pessoas nos seus projetos. A transição não pode ser feita sem o envolvimento das populações locais e sem a conversão de postos de trabalho.

Escassez de carros e inflação dominam mercado da gestão de frotas

Há falta de carros, há falta de peças, há uma inflação galopante no preço das viaturas e há o perigo do abrandamento económico. São fatores negativos para as gestoras de frotas das empresas. Mas as gestoras têm soluções.
Comentários