Credit Suisse acordou a venda da divisão de produtos securitizados à Apollo

O Credit Suisse diz que a transação, juntamente com a potencial venda de outros ativos a investidores institucionais deve reduzir os ativos do SPG de cerca de  75 mil milhões de dólares para 20 mil milhões de dólares.

O Credit Suisse anunciou mais um passo rumo à reestruturação de seu banco de investimento vendendo uma parte significativa de seu grupo de produtos securitizados (SPG) à Apollo Global Management.

Esta unidade tem pesado sobre os seus rácios de capital. Com ativos brutos de 75 mil milhões de dólares essa área representa quase um décimo do balanço do Credit Suisse. O banco disse nesta terça-feira que chegou a um acordo definitivo para vender uma parte significativa desse negócio com a gestora de ativos norte-americana.

O Credit Suisse diz que a transação, juntamente com a potencial venda de outros ativos a investidores institucionais deve reduzir os ativos do SPG de cerca de  75 mil milhões de dólares para 20 mil milhões de dólares.

Esta venda deve reduzir significativamente o risco do banco de investimento e libertar capital para o grupo investir no negócio principal do Credit Suisse.

O Credit Suisse realizará uma assembleia geral extraordinária na próxima semana para obter luz verde dos acionistas para vários elementos-chave da reestruturação.

Recomendadas

“Falar Direito”. “Renegociação? Medida deveria abranger outro tipo de créditos mais onerosos”

Na última edição do programa da plataforma multimédia JE TV, advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, considerou que o diploma referente à renegociação do crédito à habitação deveria ser mais abrangente, tendo em conta a contração de outros créditos mais onerosos.

Juro médio dos novos depósitos de particulares dispara em outubro para máximo de cinco anos

Segundo os dados divulgados hoje pelo Banco de Portugal (BdP), “em outubro o montante de novos depósitos a prazo de particulares foi de 4.726 milhões de euros, remunerados a uma taxa de juro média de 0,24%”.

PremiumBanca antevê dificuldades em identificar todos os clientes em 45 dias

Os bancos têm 45 dias para verificar se têm clientes do crédito à habitação que qualifiquem para efeitos da aplicação do diploma do Governo, mas o apuramento dos rendimentos reais é um obstáculo.
Comentários