Credit Suisse desencadeou o processo de venda do Mandarim Oriental Savoy Zurique (com áudio)

O banco tem trabalhado com um adviser para receber manifestações de interesse no famoso hotel, anteriormente conhecido como o Hotel Savoy Baur en Ville, refere a “Bloomberg” que cita pessoas com conhecimento do assunto.

O Credit Suisse Group AG está a explorar a venda do Mandarim Oriental Savoy Zurique, avança a “Bloomberg”.

A agência relata, citando a porta-voz do banco, que “o Credit Suisse revê regularmente a sua carteira de ativos imobiliários como parte da sua estratégia”.

“Como parte deste processo, o banco decidiu iniciar um processo de venda do edifício do Hotel Savoy. Avaliaremos cuidadosamente todas as ofertas e potenciais investidores e comunicaremos oportunamente qualquer decisão”, disse ainda a fonte oficial do Crédit Suisse à Bloomberg.

O banco tem trabalhado com um adviser para receber manifestações de interesse no famoso hotel, anteriormente conhecido como o Hotel Savoy Baur en Ville, refere a “Bloomberg” que cita pessoas com conhecimento do assunto.

A avaliação do hotel poderá não ser tornada pública tão cedo, mas uma notícia avançada pela primeira vez pelo blog financeiro suíço Inside Paradeplatz, refere que o hotel poderia valer cerca de 400 milhões de francos suíços.

Recorde-se que o Credit Suisse está a trabalhar numa revisão estratégica que apresentará ao mercado a 27 de outubro, e que inclui a venda de ativos, uma vez que procura formas de reduzir os custos e restaurar a rentabilidade.

O banco anunciou em 2020 que o hotel, inaugurado há quase dois séculos pelo padeiro austríaco Johannes Baur, sofreria extensas remodelações, fechando as suas portas desde o início de 2022 até meados de 2024. O número total de quartos do hotel deverá diminuir de 104 para 80, resultando num alojamento mais espaçoso, disse o Credit Suisse na altura.

O banco assume-se como o “acionista principal” do edifício e já chamou à renovação “um reflexo do seu compromisso com Zurique como local para hotéis de cinco estrelas ou mais, bem como com a coleção de edifícios históricos na Paradeplatz”.

 

Recomendadas

Revolut nomeia Elisabet Girvent para responsável de vendas em Espanha e Portugal

O seu objetivo passa por continuar a expandir os serviços da Revolut Business na região. A Revolut Business é o serviço bancário empresarial da Revolut. Esta solução encontra-se em funcionamento desde 2017 e foi concebida para atender às necessidades de start-ups, PME familiares e grandes empresas tecnológicas.

Noção de mercados emergentes na banca está morta, diz Mckinsey. Ásia concentra crescimento

Os bancos na Ásia-Pacífico podem ganhar com uma perspectiva macroeconómica mais forte, enquanto que os bancos europeus enfrentam uma perspectiva mais sombria. “No caso de uma longa recessão, estimamos que a rendibilidade dos bancos a nível mundial possa cair para 7% até 2026 e para baixo dos 6% nos bancos europeus”, diz a Mckinsey.

Morgan Stanley avança com corte de 1.600 empregos

A redução de quadros, dada em primeira-mão pela “CNBC”, afetou cerca de 1.600 dos 81.567 empregados da instituição financeira e tocou a quase todos os cantos do banco de investimento global. O banco está a seguir os seus concorrentes no restabelecimento de um ritual suspenso durante a pandemia: a saída anual de pessoas com fraco desempenho.
Comentários