Crédito Agrícola avança com linha de crédito até 15 anos para empreendedores do sector agrícola

O Crédito Agrícola revela que disponibiliza a linha Agronegócios FEI (Fundo Europeu de Investimento) com o objectivo de melhorar condições de acesso ao financiamento, com taxas de juro atractivas e prazos de financiamento mais longos (até 15 anos).

“A pensar nos jovens empreendedores e empresários quem têm projectos no sector agrícola”, o Crédito Agrícola disponibiliza a linha Agronegócios FEI (Fundo Europeu de Investimento) com o objectivo de melhorar condições de acesso ao financiamento, com taxas de juro atractivas e prazos de financiamento mais longos (até 15 anos).

Esta linha faz parte de “uma nova campanha CA Empreendedores que tem como objectivo potenciar o desenvolvimento e a dinamização do crescimento de negócios locais”.

A campanha CA Empreendedores prevê ainda soluções de Proteção Vida e Não Vida adaptadas às especificidades de cada negócio.

O Crédito Agrícola diz que a campanha “apresenta condições especiais no acesso ao financiamento que permitem aceder a soluções mais favoráveis, independentemente do sector de actividade ou finalidade do negócio, assim como na gestão do dia-a-dia através de soluções especiais de tesouraria. São também disponibilizadas soluções de leasing para o financiamento de bens móveis e imóveis”.

A campanha decorre até ao dia 4 de novembro.

Recomendadas

Bancos da zona euro devolvem antecipadamente 447,5 mil milhões ao BCE

Este montante vem juntar-se aos quase 300 mil milhões de euros que foram reembolsados antecipadamente em 23 de novembro.

Banco Efisa entra em dissolução

O banco Efisa, que pertencia ao universo BPN, entrou em dissolução, de acordo com um documento hoje divulgado no ‘site’ de publicações do Ministério da Justiça.

Credit Suisse conclui aumento de capital de quatro mil milhões (com áudio)

Os acionistas exerceram 98,2% de seus direitos de subscrição, segundo avança a Reuters. O restante capital (1,74 mil milhões de francos) tinha já sido obtido através de uma colocação privada junto de investidores institucionais, como o Saudi National Bank.
Comentários