Credores em Atenas para avaliar reformas exigidas

A equipa de representantes dos credores da Grécia é esperada esta semana em Atenas para avaliar a aplicação das reformas exigidas para que prossiga a ajuda financeira ao país, indicou o Ministério das Finanças grego. Segundo o ministério, Declan Costello, da Comissão Europeia, Rasmus Rüffer, do Banco Central Europeu (BCE), Nicola Giammarioli, do Mecanismo Europeu […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A equipa de representantes dos credores da Grécia é esperada esta semana em Atenas para avaliar a aplicação das reformas exigidas para que prossiga a ajuda financeira ao país, indicou o Ministério das Finanças grego.

Segundo o ministério, Declan Costello, da Comissão Europeia, Rasmus Rüffer, do Banco Central Europeu (BCE), Nicola Giammarioli, do Mecanismo Europeu de Estabilidade, e Delia Velculescu, do Fundo Monetário Internacional (FMI) devem reunir-se com o ministro das Finanças, Euclide Tsakalotos, e outros responsáveis gregos ao longo da semana.

Os encontros vão decorrer entre até ao final desta semana, disse em Bruxelas a porta-voz da Comissão Europeia para os Assuntos Económicos.

Esta é a primeira visita da equipa à Grécia desde a recondução de Alexis Tsipras no cargo de primeiro-ministro, após as legislativas de 20 de setembro.

De acordo com fonte europeia, os responsáveis terão “conversações preparatórias” e há “uma cooperação total” entre as duas partes.

O parlamento grego aprovou na sexta-feira um novo pacote de medidas de austeridade e em novembro são esperadas novas medidas.

OJE

 

Recomendadas

Desflorestação na Amazónia cai pela primeira vez no Governo de Bolsonaro

A Amazónia brasileira perdeu 11.568 km2 de cobertura vegetal entre agosto de 2021 e julho de 2022, menos 11,3% que a devastada no ano anterior. É a primeira redução do desmatamento desde que Jair Bolsonaro chegou ao poder.

Israel: Netanyahu garante que vai manter a controlo sobre a extrema-direita

Primeiro-ministro designado insiste que os radicais com que formará governo não vão tomar o poder nas suas mãos. “Israel não será governado pelo Talmud”. A incógnita é o que acontecerá com o seu julgamento por corrupção.

Parlamento alemão define como genocídio a “grande fome” na Ucrânia

O parlamento alemão aprovou uma resolução que define de genocídio o ‘Holodomor´’, a “grande fome” que atingiu a Ucrânia em 1932-1933 e que terá vitimado mais de três milhões de ucranianos.