Crescimento em Portugal “é fundamental” para o Abanca

O banco galego garante que Portugal continua a ser essencial para a implementação da sua estratégia ibérica, numa altura em que se aguarda pela conclusão da compra do EuroBic.

O Abanca está há dois anos em contacto com o EuroBic para tentar fechar a compra da instituição financeira, algo que ainda não aconteceu. O banco galego garante que Portugal continua a ser essencial para a implementação da sua estratégia ibérica, numa altura em que o negócio em território nacional mantém a rota de crescimento.

“O nosso interesse em Portugal continua”, disse Francisco Botas Ratera, CEO do Abanca, na conferência de imprensa para a apresentação dos resultados para o primeiro semestre, quando questionado sobre a compra do EuroBic e a possibilidade de vir a estar interessado no Novobanco quando o banco chegar ao mercado.

É um país “onde estamos a crescer a dois dígitos, tanto em número de clientes como em margem e volume de negócio”, referiu o gestor, salientando que Portugal e a “abordagem com uma visão ibérica é fundamental para o Abanca”.

As declarações são feitas numa altura em que o negócio para a venda do EuroBic ao Abanca parece estar quase fechado, como tem sido avançado, uma vez que já há um entendimento entre os acionistas angolanos e os galegos. Falta, no entanto, a autorização das autoridades angolanas para se concluir a operação. As duas entidades chegaram a ter um acordo em 2020, mas acabou por cair.

O Abanca obteve lucros de 104,3 milhões de euros no primeiro semestre, o que representa um aumento de 14,3% em comparação com o mesmo período do ano passado, descontando o impacto contabilístico da integração do Bankoa, que teve lugar em janeiro de 2021, de acordo com um comunicado divulgado pela instituição financeira.

Relacionadas

Lucros do Abanca aumentam 14% para 104 milhões de euros

“Estamos muito satisfeitos com os resultados, tendo em conta a volatilidade e a enorme incerteza no mercado”, afirmou Juan Carlos Escotet Rodríguez, presidente do Abanca, na conferência de imprensa realizada esta sexta-feira.
Recomendadas

Sindicatos atentos ao fundo pensões do BCP

Os Sindicatos Verticais da Banca asseguram aos associados do BCP que tudo farão “na defesa dos seus interesses no Fundo de Pensões do banco”.

BCE vigia 31 bancos por riscos associados à subida das taxas de juro

Banco Central Europeu lançou uma revisão dos riscos de taxa de juro e spread de crédito para avaliar a exposição dos bancos. Numa primeira fase irá monitorizar 31 instituições financeiras

BPI reduz participação qualificada na Conduril para 9,62%

O Banco BPI reduziu a sua participação qualificada no capital da Conduril de 10,17% para 9,62%, de acordo com um comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).
Comentários