Criança recebe 887 euros mensais por falha no teste do pezinho

A juíza do Tribunal Central Administrativo do Norte considera que o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge e a Administração Regional de Saúde do Norte “violaram o direito a um diagnóstico do hipotiroidismo congénito ao 12º dia e início de tratamento a partir desta data”.

O Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSRJ) e a Administração Regional de Saúde do Norte foram obrigados a pagar a uma criança 887,96 euros mensais por falha no teste do pezinho, relata o “Jornal de Notícias” (JN) na edição desta quinta-feira.

Segundo o JN, a adolescente (atualmente com 13 anos) sofre de deficiências devido a esse erro médico à nascença e o Tribunal Central Administrativo do Norte rejeitou o recurso que o Instituto Ricardo Jorge tinha apresentado.

A juíza considera que as condutas do INSRJ e da Administração Regional de Saúde do Norte foram “ilícitas” e “merecedoras de censura”. De acordo com a justiça portuguesa, “violaram o direito a um diagnóstico do hipotiroidismo congénito ao 12º dia e início de tratamento a partir desta data”, conforme assinala o matutino.

Relacionadas

Portugal volta a registar menos nascimentos em 2017

Para os especialistas a diminuição dos nados-vivos são naturais na evolução demográfica da sociedade portuguesa.
Recomendadas

Tribunal de Contas só recusa visto a 1% dos contratos em fiscalização prévia

“Recebemos para fiscalização prévia cerca de 2.000 a 4.000 contratos por ano só para fiscalização prévia, que são os contratos com valores superiores a 750 mil euros. Desse montante, apenas a uma percentagem muito reduzida é que o Tribunal de Contas recusa o visto: cerca de 1%. Aqui está a força dissuasora da função de fiscalização prévia”, explicou.

Ex-presidente da Câmara de Terras de Bouro condenado por prevaricação

O Tribunal de Braga condenou hoje a três anos de prisão, com pena suspensa, o ex-presidente da Câmara de Terras de Bouro Joaquim Cracel por ter aprovado o licenciamento de uma moradia ielgal em terreno de Reserva Agrícola Nacional (RAN).

Vamos aguardar investigação na Defesa “serenamente, sem formular juízos prévios”, diz Marcelo Rebelo de Sousa

O chefe de Estado falava aos jornalistas no Bairro do Zambujal, na Amadora, distrito de Lisboa, interrogado sobre a operação da Polícia Judiciária que levou à detenção de cinco de um total de 19 arguidos por suspeitas de corrupção e outros crimes no exercício de funções públicas.
Comentários