“Crime contra autocarro é semelhante ao que se passou em Alcochete”, realça SL Benfica

Clube também lamenta que a Liga Portuguesa de Futebol Profissional não tenha dirigido “uma palavra” ao adepto que foi agredido e que ficou gravemente ferido e sublinha que “a inércia das instituições é o melhor incentivo à cultura de ódio”.

Cristina Bernardo

O SL Benfica emitiu esta quinta-feira um comunicado a lamentar o ataque ao autocarro que transportava adeptos ‘encarnados’ na A1, no sentido Grijó-Gaia, comparando o incidente com o ataque na Academia de Alcochete, a 15 de maio.

“O que está em causa, nesta emboscada da A1, é de novo o crime organizado. O crime contra os elementos da Casa do Benfica de Barcelos que seguiam no autocarro é semelhante, na forma, ao que se passou em Alcochete: uma ação planeada e perpetrada intencionalmente para causar dano. Ou seja, está contemplada no artigo 3/1 da Lei 52/2003, de 22 de agosto, e enquadra-se no âmbito da verificação de elementos do crime de terrorismo”,refere o Benfica no seu comunicado publicado no site do clube.

O clube também lamenta que a Liga Portuguesa de Futebol Profissional não tenha dirigido “uma palavra” ao adepto que foi agredido e que ficou gravemente ferido e sublinha que “a inércia das instituições é o melhor incentivo à cultura de ódio”.

“A Liga Portugal anunciou orgulhosamente que no passado domingo se bateu um recorde com mais de 10 anos. Desde 2007 que não iam tantos adeptos aos estádios no mesmo dia: 145.420.  O Benfica congratula-se com o registo (e também por o Estádio da Luz ter contribuído com 39,5% do valor total), mas lamenta que a mesma Liga Portugal não tenha ainda dedicado uma palavra ao nosso adepto que foi barbaramente atirado para uma cama do Hospital de Gaia”, lê-se no comunicado.

Os encarnados terminam o comunicado com uma questão: “O que é que ainda falta para se travar esta gente?”

Bruno Simões, de 20 anos ficou gravemente ferido depois de o autocarro em que seguia, após o jogo contra o Sporting Braga, realizado no passado domingo, ser apedrejado.

Recomendadas

Wolves. A um mês do Mundial, o maior fornecedor da Seleção Nacional está em crise profunda

A pouco mais de um mês para o Mundial, a Seleção portuguesa corre o risco de ter uma boa fatia dos convocados a lutar pela manutenção na Premier League. O Wolves tem alguns dos melhores jogadores portugueses da atualidade, com um forte investimento sobretudo em jogadores da Gestifute. Tema estará em debate na edição desta sexta-feira do programa “Jogo Económico”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira, 6 de outubro

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta quinta-feira.

António Costa e Pedro Sánchez querem um Mundial2030 “para a paz”

“Já demonstrámos capacidade para organizar eventos de primeira linha. Portugal e Espanha estão prontos para receber, juntamente com a Ucrânia, o Mundial de futebol de 2030. Queremos um campeonato para a paz, mostrar o melhor do desporto, mas também os melhores valores da Europa”, escreveu o primeiro-ministro luso na rede social Twiiter, mensagem que também foi publicada pelo presidente do governo espanhol.
Comentários