“Crise ainda não foi superada”, avisa Juncker

“O trabalho dos últimos anos está a começar a dar frutos” e que “a confiança está a ser reforçada”, referiu presidente do Eurogrupo

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, são partidários para avançar no aprofundamento da união monetária e económica, especialmente em todos os progressos em relação à futura união bancária.

Juncker interveio no Parlamento Europeu, onde advertiu que a crise económica “ainda não foi superada” e instou para “não ser complacente” e a aproveitar a “oportunidade limitada” para avançar com o programa de investimentos e com uma política financeira “responsável”.

“Somos uma União onde existem muitos desempregados e a recuperação económica ainda é frágil. A crise ainda não foi superada e não podemos ser complacentes nem sequer com a ajuda das medidas adotadas pelo BCE”, referiu, perante os ministros das Finanças europeus, o responsável máximo do Executivo comunitário.

Jeron Djisselbloem afirmou que “o trabalho dos últimos anos está a começar a dar frutos” e que “a confiança está a ser reforçada”. Não obstante, assegurou que não se pode contar “para sempre com fatores de apoio como os baixos preços do petróleo ou uma política monetária cómoda, pelo que é necessário “garantir que a recuperação se possa manter, tendo em conta o débil ambiente internacional”.

OJE

Recomendadas

PSI cai em linha com Europa. Greenvolt e BCP lideram perdas

Dos quinze títulos apenas três fecharam em alta em Lisboa. Lá fora, “o ambiente de contestação social que se vive na China, onde se intensificam os protestos contra a política de Covid zero, está a gerar desconforto aos investidores e que desta forma descontam o mesmo nas bolsas”, realça o analista da MTrader.

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.

Wall Street começa semana em terreno negativo

O Dow Jones começou o dia em Wall Street a perder 0,23% para 34.269,38 pontos, o S&P 500 a ceder 0,59% para 4.002,33 pontos e o tecnológico Nasdaq a recuar 0,38% para 11.183,44 pontos.