Crise/Energia. Alemanha vai regular temperatura dos edifícios públicos no inverno

O ministro da Economia alemão, Robert Habeck, anunciou esta sexta-feira que no inverno os edifícios públicos na Alemanha só serão aquecidos até a uma temperatura de 19 graus Celsius para economizar energia, excetuando hospitais e instalações de caráter social.

Roberto Pfeil/Reuters

“Vamos emitir decretos através da Lei de Segurança Energética”, explicou o governante numa entrevista ao jornal “Süddeutsche Zeitung”.

Na Alemanha existem, segundo a emissora púbica ARD, um total de 186.000 edifícios públicos.

Reduzir a temperatura interior num grau Celsius economiza em média 6% do gás usado para aquecimento, disse a ARD, citando a Agência Alemã de Energia (DENA, na sigla em alemão).

Robert Habeck adiantou que o seu ministério também vai regular por decreto a supressão da iluminação noturna de monumentos e edifícios únicos, medida que algumas cidades já implementaram, incluindo Berlim.

O ministro mencionou ainda a possibilidade de desligar os sinais luminosos e salientou que são necessárias medidas de poupança também na esfera laboral, assunto para o qual está em contacto com o Ministério do Trabalho e os parceiros sociais.

Em julho, Robert Habeck apresentou um novo pacote de segurança energética em que já antecipava a necessidade de redução do consumo de gás por empresas e habitações em função da restrição de exportações por parte da Rússia.

Nas últimas semanas, vários municípios alemães lançaram várias ideias para economizar gás para o inverno, incluindo o corte de água quente em alguns prédios públicos e a limitação do aquecimento nas escolas a 20 graus Celsius nas salas de aulas e 15 graus Celsius nos espaços verdes.

Os depósitos de gás da Alemanha estão atualmente a quase 75% da sua capacidade, pelo que se espera que o objetivo do Governo de atingir esta marca até 01 de setembro de 2022 seja cumprido.

O Executivo alemão pretende preencher os depósitos em 85% até 01 de outubro e que 95% sejam alcançados até 01 de novembro deste ano.

Recomendadas

Gazprom corta distribuição de gás para Itália

A Gazprom fornece gás a Itália através de um gasoduto que passa também pela Áustria, mas este corte terá apenas o território como alvo.

OPEP retoma reuniões presenciais perante medo de recessão internacional

A OPEP+, o grupo integrado pelos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e aliados, reúne-se quarta-feira pela primeira vez presencialmente desde março de 2020, num momento em que crescem os receios de uma recessão internacional.
Comentários