Cristas questiona Costa: “Acha que é razoável retirar dinheiro dos que mais precisam para alocar num banco?”

Na réplica, Costa acusou Cristas de ter “a coerência do salta-pocinhas” e questionou: “Porque é que não me fala mais da dívida? Já não está preocupada com a dívida?”

“Acha que é razoável retirar dinheiro dos que mais precisam para alocar num banco? Quanto é que a Santa Casa vai pagar para entrar no Montepio Geral? Quem teve a ideia original deste negócio? A Santa Casa, o Montepio? O Banco de Portugal?” Ao intervir no debate quinzenal em curso no Parlamento, a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, fez várias perguntas concretas ao primeiro-ministro António Costa.

Em vez de responder, Costa optou por falar de outro tema: a dívida. “Andou apaixonada pela dívida. Perguntou-me no dia 17 de janeiro, 27 de janeiro, 8 de fevereiro, 8 de março, 22 de março, 26 de abril, sempre a falar da dívida. Porque é que não me fala mais da dívida? Já não está preocupada com a dívida? A senhora deputada tem a coerência do salta-pocinhas. Não fazem essas perguntas porque sabem que a taxa de juro e a dívida está a baixar,” argumentou o primeiro-ministro.

Logo a seguir, Costa alertou que o Montepio Geral “não é um banco qualquer” e acabou por expor a sua versão dos acontecimentos: “O tema surgiu depois de a Santa Casa manifestar interesse em participar. E quer a Santa Casa, quer o Montepio, quer o Banco de Portugal não viram entraves a essa participação, pois acharam que era do interesse da associação mutualista e também, naturalmente, da Santa Casa. O então provedor [Pedro Santana Lopes] tomou a decisão de mandar fazer um estudo, o qual ainda não está concluído e sem o qual não é possível tomar qualquer decisão.”

Relacionadas

Costa diz que foi Santana quem “manifestou interesse em que a Santa Casa entrasse” no Montepio

Questionado sobre a alegação de que o Governo pediu à Santa Casa da Misericórdia de Lisboa para investir no Montepio Geral, Costa ressalvou que “não há nenhuma decisão” quanto a esse investimento e disse que foi o então provedor Santana Lopes quem “manifestou interesse” no investimento em causa.

Nuno Mota Pinto no Montepio com benção do BdP e Santa Casa

Nuno Mota Pinto só aceitou assumir a presidência executiva do Montepio depois de falar com a vice-governadora Elisa Ferreira e com a Santa Casa.

Félix Morgado: “Impõe-se clarificar que não apresentei a minha demissão”

Numa carta a que o Jornal Económico teve acesso, o presidente da Caixa Económica Montepio Geral garante que continua a trabalhar “com o mesmo empenho, a mesma responsabilidade, paixão e determinação que permitiram a recuperação da CEMG”.

Santa Casa injeta 200 milhões no Montepio

A Santa Casa vai pagar 200 milhões à Associação Mutualista por 10% do Montepio, mas o banco deve fazer um aumento de capital nesse montante.
Recomendadas

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.

Cáritas já recebe pedidos de quem não consegue pagar empréstimo da casa

“O pânico foi imediato. O receio das pessoas, a angústia com que se aproximavam de nós a dizer ‘ai, se eu perco a minha casa’. É que nós tivemos uma crise em que houve muita gente a perder a casa; é recente ainda, está na memória das pessoas – 2008”, afirmou Rita Valadas.

Expectativas de exportação na Alemanha aumentam em novembro, diz Ifo

Depois de uma queda no mês anterior, a indústria automóvel volta a ter expectativa de crescimento nas exportações.
Comentários