Cromo de coleção de LeBron James vai ser vendido por mais de 5,6 milhões

O rapper canadiano Drake comprou 10 caixas de cartas para tentar localizar a tão desejada carta, mas sem sucesso.

Créditos: Goldin/Distribuição via Reuters

O cromo coleção único em que se destaca LeBron James deve ser leiloado por mais de seis milhões de dólares (5,6 milhões de euros) esta semana, pela organizadora de leilões Goldin.

O cromo inclui partes de camisolas que a estrela da NBA usou em competição, pelas equipas dos Cleveland Cavaliers, Miami Heat and Los Angeles Lakers, de acordo com a “Reuters”.

Este cromo, chamada ‘Triple Logoman’, é único no mundo e por isso é considerada “ultra raro”. Tem um enorme valor e, por esse motivo, despoletou uma procura incessante entre os colecionadores. É o caso do famoso rapper canadiano Drake comprou 10 caixas com cartas desta coleção para tentar conseguir a tão desejada carta, mas sem sucesso.

“A melhor comparação que posso fazer para o leitor moderno é imaginar Willy Wonka [e] a Fábrica de Chocolate, à procura do bilhete de ouro”, disse o diretor executivo da Goldin, Ken Goldin, em declarações à Reuters.

“Agora imaginem que só existe um bilhete de ouro, em vez de cinco”.

James é um dos melhores basquetebolistas de sempre. Venceu por quatro vezes a NBA e em dezoito ocasiões fez parte do jogo NBA All-Star, que junta os melhores jogadores da prova.

 

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira, 29 de junho

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta quarta-feira.

Upland anuncia FC Porto como o primeiro clube europeu no metaverso

A plataforma anunciou a entrada do campeão nacional no metaverso com o clube a ser integrado na cidade do Porto, com o Estádio do Dragão e com a capacidade de mobilizar os adeptos neste universo. Primeira fase deste envolvimento irá acontecer durante esta temporada.

Revista de imprensa nacional: as notícias que estão a marcar esta quarta-feira

Depois da banca, Governo foi o maior alvo de ciberataques no ano passado; Apoios covid levam falências para nível mais baixo da década; Falta de pessoal cancela 46 voos à TAP em junho
Comentários