Cultura de Comunidade: a receita anti-crise

O início do ano que se aproxima parece estar a tornar-se numa combinação perfeita para um desastre social e económico. Adivinham-se tempos difíceis para a generalidade da população e agora, mais do que nunca, o espírito e cultura de comunidade serão fundamentais para minimizar as consequências na vida das pessoas que serão mais afectadas pela crise.

Agora que se aproxima do fim este ano de má memória, começamos a sentir aquela tradicional esperança no Ano Novo. O facto da comunidade científica já ter desenvolvido mais de uma vacina para a actual pandemia de covid-19 é um grande factor de esperança, mas não tenhamos dúvidas de que a recuperação económica e social ainda está longe de ser uma realidade e infelizmente acredito que o pior ainda está para vir.

Durante as sextas-feiras deste mês de Dezembro, tive o privilégio de começar a ajudar, como voluntário, a Associação CASA que diariamente combate a pobreza e a fome no Funchal. Fui acompanhado nos diferentes dias por outros colegas da JP Madeira e por tantos outros voluntários. Uns que já estão há mais tempo e têm mais experiência e outros que tal como nós estão ainda a começar. Este enorme privilégio que é estar acompanhado por dezenas de pessoas que todos os dias se preocupam verdadeiramente com os outros, que emprestam parte do seu tempo à comunidade, que abdicam de outras opções da sua vida pessoal e social para fazer a diferença na vida de alguém, tem um valor incalculável. Durante estas semanas, e espero que ao longo de muitas mais pela frente, tive o coração claramente mais cheio. Acredito que a vida nos corre melhor quando damos o nosso melhor também pela comunidade que nos rodeia. Estas pessoas que tenho conhecido têm-me relembrado dessa realidade.

Com o aproximar de uns tempos que serão seguramente difíceis, acredito que, mais do que nunca, a receita para nos mantermos unidos enquanto sociedade, para mantermos os mínimos dos níveis de conforto e segurança que a nossa sociedade acredita, é seguramente a promoção do espírito de comunidade. Relembrarmo-nos todos que nós também ganhamos muito quando ajudamos o próximo. Que também aprendemos muito. Que aprendemos mais sobre nós e sobre a vida nesses momentos do que em muitos anos de formação. Igual à 3ª Lei de Newton na Física, a Lei da Acção e Reacção, também na vida, quando damos amor, compreensão, ajuda e amizade recebemos o mesmo em troca dos outros. Se nos lembrarmos disso a cada momento, se estivermos sempre disponíveis para ajudar o próximo desde os gestos mais pequenos, como no trânsito, até aos gestos maiores serão milhares os corações que tocaremos ao longo da nossa existência. Serão milhares as pessoas que celebrarão a nossa existência, pois serão milhares as pessoas cuja realidade nós ajudaremos a melhorar. Não é também a isso que todos nós aspiramos, deixar a nossa marca no Mundo?

Assim o meu desejo para 2021 para todos vocês é que encontrem o vosso caminho para deixar essa marca no Mundo. Que encontrem o que vos faz verdadeiramente felizes e que arranjem sempre tempo para fazer também os que vos rodeiam felizes, tanto os mais próximos como aqueles um pouco mais distantes. Que encontremos sempre razões para celebrarmos todos a existência de todos nós! Que juntos consigamos transformar os diversos meses de dificuldade que ainda nos faltam em tempo que custe muito menos a passar. Uma coisa é certa, acompanhados enfrentamos melhor qualquer adversidade. Que sejamos os companheiros de jornada uns dos outros!

Recomendadas

Hoje é celebrado o Dia Internacional da Consciencialização sobre Perdas e Desperdício Alimentar

Na Europa, todos os anos, cerca de 89 milhões de toneladas de alimentos são deitados ao lixo. Em Portugal, estima-se que cada português desperdice cerca de 134 kg de alimentos por ano. Enquanto isto 1/6 da população mundial passa fome.

Madeira: Serviço Regional de Saúde visita Unidade de Ação Social do Hospital Garcia da Orta

A Unidade de Ação Social do SESARAM observou e conheceu a dinâmica e a metodologia de trabalho implementada na UHD do hospital e, em particular, a área de intervenção social.

Madeira: Acordos de gestão entre a Segurança Social e as IPSS vão passar para 20 anos

Neste sentido, com a presente alteração pretende-se adequar a duração dos acordos de gestão que envolvam a cedência de utilização do edificado em regime de comodato, onde sejam desenvolvidas respostas sociais, numa lógica de melhor aproveitamento dos recursos disponíveis.
Comentários