Executivos ao leme. Curso da PWN-Lisbon direciona para liderança mais capaz

O primeiro curso de Liderança da Professional Women’s Network teve um dos seus pontos altos, na Mercer, com o workshop sobre ciberterrorismo. “Liderar concretizando“ é o mote inspirador desta formação executiva que aposta na continuidade. “Os ataques informáticos são capazes de desestabilizar todas as estruturas da sociedade, mergulhando-as no caos”. A afirmação de Mónica Rodrigues, […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

O primeiro curso de Liderança da Professional Women’s Network teve um dos seus pontos altos, na Mercer, com o workshop sobre ciberterrorismo. “Liderar concretizando“ é o mote inspirador desta formação executiva que aposta na continuidade.

“Os ataques informáticos são capazes de desestabilizar todas as estruturas da sociedade, mergulhando-as no caos”. A afirmação de Mónica Rodrigues, diretora executiva do curso de Liderança da PWN-Lisbon, logo no arranque do workshop, que se realizou esta quarta-feira, sintetizou o pensamento dos presentes.

A intervenção de fundo esteve a cargo de Isabel Baptista, do Centro Nacional de Cibersegurança. Esta engenheira, especialista em Ciberterrorismo começou por abordar o tema da globalização e os conceitos de terrorismo e ciberterrorismo, explicando seguidamente o que está por detrás dos atos criminosos, as dimensões em que os grupos se encaixam, os graus de ameaça e as principais ferramentas dos criminosos. Deu exemplos de ataques. Apontou as consequências do ciberterrorismo no mundo atual e “como tudo é condicionado por cada indivíduo e cada computador, “obrigando-nos a trabalhar os sistemas de crenças para fazer face às ameaças e desafios”. Por fim, sublinhou: “O ataque ou a defesa vence dependendo da complicação ou simplicidade dos dados que afetam a informação.”

O workshop subordinado ao tema “O ‘foco’ no Mundo. Oportunidades e ameaças. Ameaça do ciberterrorismo e suas consequências no mundo atual” foi um dos pontos altos do curso de Liderança da PWN Lisbon, lançado em maio e com terminus em novembro.

Nélia Câmara, RSC Leader da Mercer – que, juntamente com Mónica Rodrigues, Rita Pelica, responsável pela área de Outsourcing Marketing & Vendas do Grupo EGOR e Américo Ferreira, administrador da Águas de Portugal Internacional, integra a equipa promotora – explicou ao OJE que o curso de Liderança engloba um conjunto de temas e perspetivas diferentes que irão com certeza “contribuir de forma significativa para o enriquecimento” profissional e pessoal dos participantes.

“Um(a) líder eficaz necessita de se conhecer a si próprio(a), quem são os outros e o mundo que o(a) rodeia. O curso da PWN usa esta metodologia para incentivar os participantes na procura do conhecimento contínuo e não se restringindo apenas à sua área de conforto”, salienta a RSC Leader da Mercer.

O curso integra cinco diferentes modalidades de atividades, abrangendo três módulos presenciais, um “field safari”, visitas de estudo e um “leadership day”. Entre os temas desenvolvidos contam-se Neurociências e competências de liderança emocional e resiliência; Genética, alimentação e alta performance; Ética e equipas de elevada performance; Análise geo-política e geo-estratégica do mundo; Novas oportunidades e novas ameaças à escala global e Análise dos setores estratégicos nacionais.

Este primeiro curso, que recrutou apenas associados da PWN-Lisboa, estará no futuro aberto a outros profissionais que pretendam mergulhar na temática. Mónica Rodrigues revelou ao OJE ser intenção da equipa promotora – lançar uma segunda edição do curso. A executiva justifica a continuidade com o interesse crescente que tem vindo a ser manifestado, tanto interna como externamente e que avolumou nas últimas semanas, isto é, à medida que diminuem as sessões no calendário para a primeira edição.

Mónica Rodrigues, que recentemente participou em Madrid no PWN Global 21st Ventura Leadership Fórum, revelou igualmente ao OJE ter sido abordada, na capital espanhola, por diretivas de outros países membros da rede no sentido de exportar esta formação.

Depois da sessão esta quarta-feira na Mercer, o curso de Liderança, que teve até agora praticamente todas as sessões nas instalações do Deutsche Bank, na Rua Castilho, em Lisboa, parceiro da PWN-Lisbon, prossegue neste terceiro módulo, na próxima semana, no espaço de uma outra empresa partner da iniciativa: a consultora Accenture. A sessão terá como mote “Modelos de Gestão à Escala Global. O desenvolvimento e impacto no mundo dos negócios.”

Liderar concretizando” é, nas palavras de Américo Abreu Ferreira, o mote inspirador do curso de Liderança. Rita Pelica alinha pelo mesmo diapasão: “É um curso baseado numa liderança pelo exemplo e pela partilha, com conteúdos à medida apresentados por especialistas. Learn. Share. Connect.”

Por Almerinda Romeira/OJE/Foto de António André

Recomendadas

Conferência “Poupar e Investir para um Futuro Melhor” a decorrer em Lisboa, com o apoio do Jornal Económico

A conferência é organizada pela Optimize Investment Partners, sociedade gestora portuguesa que disponibiliza uma gama de soluções de investimento para diversos perfis de risco e objetivos. Moderada por Nuno Vinha, subdiretor do Jornal Económico, consiste numa palestra de 30 minutos de cada um dos quatro oradores, um coffee break e uma mesa redonda com espaço para perguntas e respostas e interação com a plateia.

SIBS: mais de um quinto do valor gasto na Black Friday foi em compras online

O comércio online continua a ganhar peso nas compras em Portugal. Dados da SIBS revelam que 22% do valor gasto na última Black Friday foi em compras online, um peso que bate por muito os 18% do ano passado.

União Europeia, G7 e Austrália limitam barril de petróleo russo a 60 dólares

Os 27 estados-membros da UE chegaram a acordo, esta sexta-feira, no estabelecimento de um teto máximo para o preço do petróleo russo nos 60 dólares por barril. Os sete países mais industrializados do mundo (G7) e a Austrália juntam-se na decisão.