Da esquerda à direita. O que disseram os partidos do congresso do PSD?

Posto o congresso da direita à esquerda os partidos não se acanharam em lançar críticas a Rui Rio e possíveis cenários para o pós eleições foram lançados.

A direção do reeleito líder social democrata, Rui Rio foi aprovada com 67,6% dos votos, no congresso do PSD que decorreu no passado fim de semana, e o presidente do Partido Social Democrata (PSD) prometeu dar especial atenção aos professores e ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) se for eleito primeiro-ministro nas eleições de janeiro. Posto o congresso da direita à esquerda os partidos não se acanharam em lançar críticas a Rui Rio.

PS acusa PSD de se aproximar à extrema direita

“O único partido e a única liderança que deu provas de se entender mesmo com a extrema direita foi precisamente a liderança do PSD quando aceitou o acordo com o Chega nos Açores”, disse o secretário-geral adjunto do Partido Socialista (PS), José Luís Carneiro depois do discurso de Rui Rio que encerrou o congresso social democrata.

Sobre o discurso de Rio, José Luís Carneiro sublinhou as palavras do social democrata sobre ser “contra o sistema”. “Significa que se está a aproximar da extrema direita e não do posicionamento político ao centro como o país bem precisa”, considerou.

Quanto a uma possível coligação entre PS e PSD José Luís Carneiro referiu que: “O Partido Socialista vai aguardar pelo escrutínio eleitoral e pela vontade expressa dos portugueses no dia 30”.

PCP prevê coligação entre PS e PSD

Além do PS também o Partido Comunista Português marcou presença no congresso do PSD e no fim, em declarações aos jornalistas, afirmou que está a formar-se um caminho para uma coligação entre PS e PSD.

Octávio Augusto do PCP sublinhou as “declarações de intenções, de paixões, de namoro” e considerou que “tudo se encaminha para ouvindo dirigentes do PSD, ouvindo dirigentes do próprio PS, com as mais altas responsabilidades para estarem disponíveis para reabilitar o bloco central de interesses que de má memória tem para a vida dos portugueses e do nosso povo”.

CDS sem perceber com quem se coligará PSD de Rio

Foram muitos os que estiveram presentes no congresso do PSD, mas outros escolheram não marcar presença, como foi o caso de Francisco Rodrigues dos Santos, o líder do CDS-PP. Para representar os centristas este Filipa Correia Pinto que considerou que a ausência de ‘Chicão’ não teve qualquer “leitura política”. “Não é sinal de menor respeito a circunstância do presidente não ter hoje aqui vindo”, destacou.

Para a centrista ficou por esclarecer com quem poderá coligar-se o PSD. “Não se percebe se rui rio pretende implementar estas reformas ressuscitando o antigo chamado Bloco Central ou se pelo contrário prefere fazer essas reformas à direita com o seu parceiro de sempre”, explicou Filipa Correia Pinto.

IL diz que PSD apresenta “penso rápido” como solução

“Rui rio apresenta no seu discurso de encerramento uma fratura exposta e apresenta como solução a terapia do penso rápido”, disse Bruno Mourão Martins da Iniciativa Liberal, acrescentando que “faz falta o espírito reformista” ao PSD.

PAN crítica “Bloco Central de mãos dadas”

A porta-voz do PAN, Inês de Sousa Real não prestou declarações aos jornalistas no fim do congresso onde esteve presente. No entanto deixou os seus comentários para as redes sociais.

“Nem a maioria absoluta de António Costa, nem governação ao centro de Rui Rio. A democracia só se reforça com renovação e progressismo, não com mais do mesmo ou menos ainda com o Bloco Central de mãos dadas. É preciso romper com a bipartidarização que tem tomado o poder”, escreveu a representante do PAN no Twiter.

BE ausente no congresso, mas presente nas redes sociais

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE) não esteve presente no evento do PSD, mas escolheu as redes sociais para manifestar a sua opinião sobre os sociais democratas.

“O PSD exibe o vazio. Não é que não saiba o que pretende, a direita sonha voltar às privatizações e está de olho na saúde. Mas prefere esconder o jogo e esperar um bloco central. Salvar o SNS, recuperar salários ou garantir habitação só se faz com a esquerda”, afirmou no fim de semana Catarina Martins num publicação via Twitter.

Recomendadas

João Cotrim de Figueiredo no regresso do Clube dos Pensadores

Líder do Iniciativa Liberal está no Porto para o regresso do Clube dos Pensadores, um grupo de debate enraizado na sociedade civil por onde já passaram quase todos os líderes políticos nacionais.

Ministro da Saúde quer reinício das negociações com sindicatos ainda em outubro

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, disse hoje em Coimbra que o regresso às negociações com os sindicatos dos médicos e enfermeiros “de outubro não passará”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.
Comentários