Premium“Dá-se quase uma medalha a quem consegue fugir aos impostos”, diz presidente da APIT

O presidente da APIT salienta que Portugal está a braços com a economia informal e que são precisas políticas de cidadania na área.

A economia paralela continua a ser um dos grandes desafios do sistema fiscal português.

Quem o diz é o presidente da Associação Sindical dos Profissionais da Inspeção Tributária e Aduaneira (APIT), Nuno Barroso, para quem esta é, acima de tudo, uma questão de cidadania fiscal. Por isso, é necessário reforçar a educação nesta área, defende, o que beneficiaria e facilitaria também o debate sobre como a fiscalidade pode ter um impacto positivo na luta contra as desigualdades entre géneros e etnias.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.

Cáritas já recebe pedidos de quem não consegue pagar empréstimo da casa

“O pânico foi imediato. O receio das pessoas, a angústia com que se aproximavam de nós a dizer ‘ai, se eu perco a minha casa’. É que nós tivemos uma crise em que houve muita gente a perder a casa; é recente ainda, está na memória das pessoas – 2008”, afirmou Rita Valadas.

Expectativas de exportação na Alemanha aumentam em novembro, diz Ifo

Depois de uma queda no mês anterior, a indústria automóvel volta a ter expectativa de crescimento nas exportações.
Comentários