De Espanha à Irlanda, conheça as medidas para fazer face à crise energética

Desde o início de 2022 que os preços da eletricidade e do gás têm vindo a subir na Europa, obrigando a medidas que visam reduzir o seu impacto. Para explicar a situação aos consumidores portugueses, a Selectra elaborou um texto em que explica tudo isto.

O contexto negativo da economia à escala global está a ser acompanhado por uma crise energética sem precedentes. Desde o início de 2022 que o preço da energia tem vindo a subir em todo a Europa, pelo que importa perceber que medidas estão a ser tomadas nos outros países. Com o objetivo de ajudar os consumidores portugueses a perceberem o contexto europeu, a Selectra explica o que tem sido feito.

Toda a situação se prende com a subida de preços nos mais variados sectores, dos quais o energético não é exceção. Neste contexto, os governos procuram estabelecer medidas para fazer frente à crise, reduzindo o seu impacto.

De acordo com a empresa, especializada na comparação de tarifas de energia, na vizinha Espanha, o preço da eletricidade subiu dos 121 euros/MWh, em 2021, para os 544,98 euros/MWh em 2022. Entre as medidas adotadas, estão a redução, até dezembro de 2022, de até 55% nos encargos regulados da fatura de maio a dezembro, a redução do imposto especial sobre eletricidade de 5,1% para 0,5%, a suspensão de 7% do imposto sobre a geração de energia elétrica, a redução do IVA do gás de 21% para 5% e a criação do travão ibérico, juntamente com Portugal. Esta última medida foi adotada pelos dois países para fixar o preço máximo da eletricidade em 40 euros/MWh, independente da subida de preços na fonte.

A Alemanha, por seu turno, reduziu o imposto de energia sobre combustíveis a partir de junho deste ano, suspendeu a taxa EEG (relativa a energias verdes) desde julho e estabeleceu uma taxa fixa de energia de 300 euros a partir de setembro para pessoas assalariadas sujeitas a imposto sobre o rendimento. A estas medidas juntam-se o foco em energias renováveis (na procura de depender menos do gás russo) e a redução do IVA do gás de 19% para 7% até 2024.

Em França, as empresas têm sentido maior impacto, já que as entidade que registam maior consumo não podem aderir ao mercado regulado. Por esse motivo, o Estado está a elaborar um “Plano de Poupança de Energia” para as mesmas. A somar a isto, existe um cheque-energia de até 277 euros/ano para pessoas com baixos rendimentos.

Por último, na Irlanda, onde a taxa de inflação regista uma subida de 26,3%, o governo criou um desconto de 200 euros em energia para todas as famílias, assim como a redução do imposto sobre o carbono e a redução da taxa de Obrigação do Serviço Público (PSO).

Também em Portugal é notório o aumento da taxa de inflação, pelo que já existem medidas em vigor, com os consumidores a terem agora a possibilidade de regressarem ao mercado regulado, que tem uma tarifa mais económica e será extinto até 2025. Adicionalmente, o governo estipulou preços máximos para a venda das botijas de gás, consoante o tipo de gás e o peso da botija.

Das empresas vendedoras de gás em Portugal, a EDP, a Gold Energy, a Galp e a Iberdrola aumentaram as suas tarifas. Em sentido contrário, a Endesa foi a única que não o fez, mantendo os preços de setembro.

Por outro lado, na eletricidade não se verificaram aumentos face a setembro, mas espera-se uma subida de 1,1% em janeiro de 2023.

Recomendadas

Evite o desperdício neste Natal. Conheça algumas dicas para um Natal mais sustentável e económico

Quanto aos embrulhos, os enfeites dos presentes, sugerimos que não rasgue o papel de embrulho e experimente estimá-lo e guardá-lo. Já pensou em optar por papel de jornais ou revistas para os embrulhos? Original e divertido.

Europ Assistance e Club Tek lançam seguro contra danos e roubo de telemóveis, tablets e computadores

A seguradora garante a reparação do equipamento em caso de danos acidentais (elétricos, danos por água, quebra de teclas, danos no ecrã). Se a reparação não for possível, o cliente tem direito à substituição do equipamento por outro novo com as mesmas características.

Sabia que as dívidas também prescrevem? Saiba mais sobre estes prazos

Relembramos que existem exceções na lei que podem alterar algum destes prazos. Por isso, o melhor será sempre o consumidor contactar primeiramente entidades que o possam ajudar e não deixar arrastar a situação. 
Comentários