De que forma a Impressão em 3D irá tornar a sua empresa no elo mais forte da cadeia de valor?

Na última década, a variada gama de novos produtos levou à popularização da impressão em 3D.

A impressão em 3D – ou manufatura aditiva – é uma tecnologia que está disponível desde a década de 1980. Contudo só se tem vindo a popularizar na última década, já que a variada gama de novos produtos de impressão em 3D (I3D) convenceu as empresas de que esta tecnologia poderia favorecê-las competitivamente. As empresas estão cada vez mais cientes de que a amplitude das tecnologias e materiais I3D oferece soluções para vários tipos de indústrias, em todo o mundo. No entanto, face a essa enorme variedade, muitas empresas não têm conhecimento e confiança para identificar a tecnologia, a aplicação e o uso adequados para as necessidades. Para muitas, essa incerteza limita a capacidade de quantificar os benefícios da tecnologia e incorporá-la em na visão estratégica.

O EY’s Global 3D Printing Report oferece uma avaliação abrangente dos níveis atuais de adoção da tecnologia e de tendências futuras prováveis, fornece uma visão multipartidária da indústria, considerando a experiência e a perspetiva de empresas que exploraram a tecnologia, complementadas por estudos de caso, bem como reflete a evolução dos fornecedores desta tecnologia. O estudo analisou as opiniões de 900 empresas de 12 países, obtendo informações sobre a prática atual e sobre desenvolvimentos futuros.

Da análise que a EY realizou, foi possível compreender que a I3D se tornará parte da produção por via de uma das seguintes três possíveis abordagens:

1) A manufatura aditiva poderá ser adotada como uma tecnologia adicional à que suporta o atual processo produtivo. Este é o cenário que é percecionado como mais provável, com 19% das empresas a terem a expetativa de utilizar a tecnologia I3D desta forma.

2) Alternativamente as tecnologias de I3D poderão ser combinadas com outras mais tradicionais numa forma híbrida de tecnologia. A Lockheed Martin (LM), por exemplo, tem um sistema composto por 3 braços robóticos: um para manufatura aditiva em metal, um segundo para medição ótica e o terceiro para moagem tradicional. Nenhum fornecedor de sistemas desenvolveu até ao momento uma solução híbrida convincente e é por essa razão que a LM, e outros, desenvolveram as próprias soluções. 15% das empresas acreditam que esta será a forma acertada de usar esta tecnologia.

3) Num terceiro cenário, a manufatura aditiva poderá substituir por completo métodos tradicionais. Esta mudança anunciaria os maiores impactos e disrupção para as empresas. Dados os desafios que esta tecnologia ainda enfrenta, no médio prazo pelo menos, esta é a abordagem menos provável. Apenas 12% das empresas consultadas esperam substituir a atual tecnologia de produção por I3D nos próximos 5 anos.

Se tem interesse em receber comunicação da EY Portugal (Convites, Newsletters, Estudos, etc), por favor Clique aqui

Recomendadas

Desenvolvimento da Biotecnologia em Portugal

A biotecnologia explora processos celulares e biomoleculares para desenvolver tecnologias e produtos que ajudam a melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Canábis medicinal: um cluster emergente em Portugal?

Portugal está no radar do investimento mundial na cadeia de valor da canábis medicinal, possuindo excelentes condições para se tornar um hub europeu nesta indústria.

ESG no imobiliário: o que as organizações devem considerar

Nas maiores empresas, esta abordagem de integração estratégica está a ser encarada como um imperativo de negócio para criar valor a longo prazo.
Comentários