De Toronto a Estugarda: TAP anuncia seis novos destinos

As reservas para os novos destinos podem ser efetuadas a partir de hoje.

Jacky Naegelen/Reuters

No próximo verão a TAP vai aumentar a oferta e os seis primeiros novos destinos já foram anunciados. A partir de 10 de junho a companhia passa a voar para o Canadá (Toronto), Hungria (Budapeste), Roménia (Bucareste), e acrescenta novos destinos em Espanha (Las Palmas e Alicante) e na Alemanha (Estugarda).

Os voos para Madrid, Manchester, Moscovo, Dusseldorf e Faro vão ser reforçados.

Só no mês de julho de 2017, a TAP terá um total de mais 1.176 voos do que no mesmo mês de 2016, que corresponde a um acréscimo de mais 272.878 lugares disponíveis.

As reservas para os novos destinos podem ser efetuadas a partir de hoje.

2016 foi um ano de reestruturação da Rede de destinos e frequências, para o ano que aí vem a companhia adotou uma nova política tarifária, ampliando e diversificando o seu produto.

Para fazer face a este programa de crescimento, a frota da TAP será reforçada com a entrada de um novo avião de longo curso (A330), dois de médio curso (A320F) e mais quatro (Embraer) que integrarão a frota regional da TAP Express, passando de um total de 80 para 87 aeronaves.

Recomendadas

Digi e Cellnex celebram acordo para instalação de rede 5G em Portugal

Esta é a primeira informação oficial a surgir depois de a Digi ter investido mais de 67 milhões de euros na compra de licenças 5G no leilão da Anacom.

Mastercard quer oferecer soluções tecnológicas de pagamento que incluam criptomoedas

A Economista Responsável pelos Mercados da Europa, Médio-Oriente e África no Instituto Económico da Mastercard, Natalia Lechmanova, mostrou como os hábitos dos consumidores estão a alterar-se nas economias ocidentais, onde “as pessoas estão a dar cada vez mais prioridade às experiências e menos a “coisas”.

Mobilidade Sustentável: conheça a aposta da Schindler

Com a missão de ser cada vez mais sustentável, a Schindler estabeleceu para o ano de 2030 uma redução de 50% nas emissões de gases com efeito de estufa das suas atividades, com base nos dados de 2020.
Comentários